Baiano entra na Justiça para ter passe

O zagueiro Júnior Baiano deu entrada em uma ação trabalhista contra o Vasco nesta terça-feira, na Justiça do Trabalho, requerendo a posse de seu passe. Em seu pedido, o jogador alega que não recebe salário há nove meses e direitos de imagem há um ano e quatro meses. Pela Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), o atleta que ficar três meses sem receber salário tem direito a reivindicar o seu passe."Há um mês fui falar com o Eurico (Miranda, presidente do Vasco) e ele me deixou esperando. Essa é minha grande mágoa. No Vasco, são os atletas que pagam pelos erros dos dirigentes", acusou Júnior Baiano. O zagueiro explicou que o "descaso e o desrespeito" dos dirigentes vascaínos com os jogadores foram as suas principais motivações para iniciar a "luta" pelo seu passe.Júnior Baiano deixou de treinar no Vasco nesta terça-feira e afirmou que só vai procurar um outro clube quando a Justiça Trabalhista tomar uma decisão. "Meu contrato com eles ia até dezembro, mas não agüentei esperar. Luiz Viana, meu novo procurador, já recebeu algumas propostas de uns clubes. Porém, preciso resolver primeiro esta situação", afirmou o zagueiro.Os advogados de Baiano, José Massih e Wanderley Diniz, que deram entrada na reclamação trabalhista no Fórum do Rio, afirmaram que o atleta não vai ter problemas para conseguir a liberação de seu passe. "A Justiça está do lado do Júnior", avaliou Massih.O meia Juninho Pernambucano foi o primeiro jogador vascaíno a requerer seu passe na Justiça, por causa dos problemas financeiros do clube. Ele alegou que o Vasco não realizou os depósitos de seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O Tribunal Superior Tribunal (TST) decidiu favoravelmente ao jogador, que já está treinando na sua nova equipe, o Lyon, da França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.