Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Baiano está confiante para a estréia

Depois de duas semanas de treinos fortes e sendo exigido bastante pelo preparador físico Walmir Cruz, o lateral Baiano, aos poucos, vai ganhando confiança para a estréia no clássico contra a Portuguesa, neste sábado à tarde, no Palestra Itália. ?O Baiano conhece o setor e treinou muito bem esses dias. Tenho certeza que a experiência internacional dele vai ser muito útil para o grupo", analisara o técnico Jair Picerni, na quarta-feira. No coletivo desta quinta-feira, ele correu o tempo todo. Auxiliou bastante o ataque, mas ficou evidente que ainda falta ritmo para suportar 90 minutos. ?Estava totalmente fora de forma. Fiquei uma semana só trabalhando condicionamento. Tinha dia que eu nem conseguia andar direito depois do treino", brincou o lateral, que marcou o primeiro gol na goleada dos titulares sobre os reservas por 5 a 0. ?Para não comprometer, vou ter que jogar o mais simples possível. Sem ficar inventando muito. Vou ter que marcar bastante naquele setor e, aos poucos, arriscar o apoio ao ataque." Mas o jogador reconhece que o principal adversário será a própria torcida palmeirense. Depois da boas atuações do lateral Alessandro - negociado com o Dínamo de Kiev, da Ucrânia -, Baiano sabe que precisará jogar muito bem para não cair em desgraça logo no primeiro jogo. ?Não vai ser em apenas uma partida que vou ganhar a confiança do torcedor. Vou precisar demonstrar disposição e garra. Só com uma seqüência de jogos os torcedores e vocês (jornalistas) poderão fazer uma avaliação", avisa. Apesar do pouco tempo de convivência, Baiano revela que o esquema montado por Jair Picerni favorece suas subidas ao ataque. Por já ter jogado como meio-campista, o condicionamento físico ajuda na hora de recompor a defesa. ?Já percebi que quando subo para o ataque, sempre tem um jogador cobrindo as minhas costas para evitar um contra-ataque. Ou o Adãozinho ou o Magrão. Isso me favorece porque nós trocamos de posição e eu acabo marcando no meio-de-campo." Apesar de o Palmeiras ter pela frente um adversário que tem uma campanha irregular na Série B do Campeonato Brasileiro e que sofre com a crise financeira e atraso no pagamento de salários dos jogadores, o lateral garante que o Palmeiras precisa ter muita atenção para não ser supreendido dentro do Parque Antártica e, de quebra, perder a chance de alcançar o Botafogo. ?Desde o começo da semana, nós (jogadores) já estamos conversando sobre o clássico. No vestiário, antes do treino, conversamos bastante, sempre frisando o que cada um precisa fazer para nada dar errado", admite Baiano, que também já sabe quem procurar na área. ?O Daniel, o Leonardo e o Magrão sempre aparecem bem colocados nas jogadas de bola parada." Ingressos - Para o clássico deste sábado, pouco mais de cinco mil ingressos foram vendidos nos dois dias de venda nas bilheterias do Parque Antártica e Canindé, e nos cinco postos de venda. Mas a previsão da diretoria palmeirense é que mais de 22 mil ingressos sejam vendidos no dia do jogo.

Agencia Estado,

07 de agosto de 2003 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.