Baiano pode ser punido pelo STJD

O lateral-direito Baiano não receberá nenhuma punição do Palmeiras pela sua expulsão no clássico de domingo, contra o Corinthians. O diretor de futebol do clube, Salvador Hugo Palaia, até saiu em defesa do jogador."Ele sofreu muito na Argentina, me contou tudo. O Baiano foi vítima de racismo no Boca Juniors", disse o dirigente, para justificar a agressão ao argentino Tevez, do Corinthians.Mas Baiano pode ser punido com rigor pelo STJD. Na súmula do jogo, o árbitro Wilson Luiz Seneme relatou que ele agrediu Tevez. Segundo o artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, a pena pode chegar a 540 dias. Ainda não há data para o julgamento.Reforços - O dirigente aproveitou para desmentir os boatos de que o Palmeiras estaria negociando com Rivaldo, do Olympiakos, da Grécia. "Isso é uma mentira. Eu nunca falei no nome de Rivaldo. Em nenhum momento procurei o jogador para negociar."Palaia soube que Rivaldo declarou que gostaria de encerrar a carreira no Palestra Itália. "Isso não significa que haja um interesse do Palmeiras. É diferente do caso do Gamarra, por exemplo. Nós estávamos muito interessados no jogador e não escondemos isso de ninguém", explicou o dirigente, assegurando que sua gestão será marcada pela transparência. "Não vamos esconder nada aqui. Se alguma coisa acontecer, vocês saberão." Palaia confirmou, por fim, que no final do ano deve anunciar mais um reforço, um ?presente de Natal? para a torcida palmeirense. "Não digo o nome, porque ele está jogando por aí?, afirmou. E insistiu que esse jogador não será Rivaldo. O mais provável é que seja Paulo Baier, lateral do Goiás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.