Baiano reencontra um Palmeiras pior

Na sua volta ao Parque Antártica, seis meses depois de trocar o Palmeiras pelo Boca Juniors, o lateral-direito Baiano vai perceber que pouca coisa mudou no clube. E o que mudou, foi para pior: hoje, o desafio de Paulo Bonamigo e companhia é a fuga da zona do rebaixamento. A dois pontos do 19º colocado, o grupo concluiu que só conseguirá mudar radicalmente a situação se conquistar nove pontos nos próximos três jogos: Botafogo-RJ, Corinthians e Fortaleza. "Nossa meta é essa" reafirma o meia Pedrinho. "Se quisermos sair da zona de rebaixamento e passar a brigar no grupo lá de cima, não podemos sequer pensar num empate nessas três partidas". Na verdade, não é só o futuro do time que estará em jogo. A permanência de Bonamigo no cargo também está condicionada a uma resposta positiva do Palmeiras, especialmente no clássico contra o Corinthians, dia 10 de julho. A pressão sobre o treinador aumentou demais após a derrota para o Paysandu, em Belém. Os conselheiros pressionam Affonso Della Monica para trocar de técnico, mas a mudança, se houver, não deve ser imediata. Já não é mais segredo, porém, que a paciência do presidente está chegando ao fim. Segunda-feira, Della Monica deixou seu gabinete, no Parque Antártica, para fazer uma visita à Academia de Futebol. A amigos, confidenciou. "Tenho que fazer alguma coisa. Do jeito que está, não podemos continuar". Se fez ou não algum tipo de ameaça a Paulo Bonamigo não se sabe. Só que na chegada a São Paulo, o treinador parecia convencido do bom trabalho feito pela comissão técnica e pelo grupo, apesar dos números não condizentes. "Não estou preocupado com demissão. Só vou ficar preocupado quando sentir que os jogadores não estão mais comigo. Se isso ocorrer, aí sou eu que pego as minhas coisas e vou embora. Não é o caso". O treinador tem absoluta convicção de que o Palmeiras conseguirá reagir no Campeonato Brasileiro. Bonamigo toma por base a qualidade de seus jogadores e o nível dos treinamentos - muito melhor do que o desempenho nos jogos. Além da volta de Baiano, que acertou contrato com o clube até dezembro de 2006, as negociações com o zagueiro paraguaio Gamarra estão bem avançadas. Além disso, o colombiano Muñoz, já recuperado de uma cirurgia no joelho, deve estar em condições de jogar em três semanas. Baiano será apresentado nesta quarta-feira, às 14h30, no Parque Antártica. Depois, haverá um coletivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.