Baixo rendimento preocupa técnico Leão

O futebol do Santos não é mais o mesmo do Campeonato Brasileiro do ano passado e o técnico Leão já começa a admitir essa realidade. "Alguns atletas estão longe da realidade, temos que entender esse momento e trabalhar contra ele", disse o técnico, num desabafo logo depois do empate contra o El Nacional. Nesta sexta-feira, ele definirá a equipe para o jogo de sábado, contra o Flamengo, no Maracanã, e pode fazer modificações além do retorno de Alex, Paulo Almeida e Renato, que se recuperaram de contusões e estão liberados.Leão está insatisfeito com excessos de individualismo de alguns jogadores e prega a volta do futebol coletivo, sob pena de mudar a equipe. O treinador acha que tem de haver uma pegada mais forte na marcação e estende a crítica a outros setores: "estamos achando que a qualquer hora podemos definir a partida, mas isso no futebol não existe, não é uma verdade".Embora critique o desempenho dos jogadores nas últimas partidas, Leão ressalta que "eles têm muito para dar", mas não esconde uma certa impaciência: "estão demorando um pouco para dar e alguns atletas-sensação não estão sendo mais isso e já começaram a ser cobrados". E advertiu: "com um futebol negativo, não se tornam titulares e existe a possibilidade de substituição, já que eu dou um número de chances e, se não corresponder, sai".Leão tem demonstrado preocupação também com o que chama de "periferia", isto é, fatores extra-campo que podem perturbar seus jovens atletas. Essas questões se intensificaram depois da conquista do título de Brasileiro, com a fama repentina e todo tipo de assédio que os jogadores estão recebendo, especialmente Robinho e Diego.Para o volante e capitão Paulo Almeida, "o Santos não é mais uma surpresa como foi no ano passado; é uma realidade". Por isso, ele entende que as dificuldades estão aumentando, já que os adversários já conhecem a forma de jogar do time e "todos querem vencer o campeão".Mas acha que esse problema vai passar. "Realizamos uma campanha ótima na Libertadores e agora vamos nos acertar no Brasileiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.