Balanço do Palmeiras melhora, mas Timemania gera déficit

Clube ficou no vermelho por R$ 24,188 milhões, resultado do reconhecimento de dívidas fiscais pela loteria

Agência Estado

20 de março de 2008 | 15h16

A confissão de dívidas fazendárias, previdenciárias e com o FGTS para adesão à loteria Timemania levou o Palmeiras a um déficit de R$ 24,188 milhões em 2007. Apesar de continuar no vermelho, o resultado final do clube paulista ficou 35% abaixo do déficit de R$ 37,243 milhões contabilizado em 2006.A despeito da linha final ainda negativa, as contas do Palmeiras publicadas nesta quinta-feira no Diário Oficial do Estado de São Pulo apresentaram sensível melhora no ano passado. O resultado operacional obtido só com o futebol profissional ficou positivo em R$ 2,963 milhões (ante R$ 7,039 milhões negativos um ano antes) e as atividades desportivas em geral - que incluem as arrecadações sociais - foram superavitárias em R$ 10,213 milhões (déficit de R$ 1,969 milhões em 2006).A receita total do Palmeiras saltou de R$ 57,205 milhões em 2006 para R$ 83,888 milhões em 2007, sendo R$ 65,145 milhões só com o futebol. Em salários ligados aos esporte profissional, o clube arcou com R$ 23,362 milhões no ano passado.O bom desempenho operacional só não garantiu um superávit no final do ano porque o Palmeiras aderiu ao parcelamento de suas dívidas com órgãos do governo, no processo de adesão à Timemania, a nova loteria criada para ajudar os clubes de futebol a sanarem suas dívidas com a União. Os débitos totais reconhecidos junto à Procuradoria da Fazenda Nacional, INSS e FGTS somaram R$ 21,032 milhões e entraram no balanço palmeirense como "despesas extraordinárias". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.