Daniel Augusto Jr/ Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr/ Ag. Corinthians

Balbuena defende Romero: 'Quando mexem com seu país e sua família é algo grave'

Zagueiro afirma que ofensas contra o Paraguai machucam e que alguns jornalistas tiraram o foco do futebol

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 Março 2018 | 07h00

O paraguaio Balbuena saiu em defesa de seu compatriota Romero, que reclamou de preconceito após o clássico entre Corinthians e Santos. Segundo o zagueiro, o atacante foi infeliz nas declarações contra o rival, mas tem razão quando fala de xenofobia.

+ Sheik destaca marcação do Mirassol, mas queria vitória mais 'fácil'

+ Golaço de Sheik garante vitória e classificação do Corinthians

"Depois do jogo contra o Santos, falei que ele tinha errado sobre o que falou. Sei que não foi a intenção dele ferir ninguém nem falar do outro time, mas ele se expressou mal. Eu disse que a gente como jogador não pode falar aquilo e ele sabe que errou, até se corrigiu na terça", disse o defensor. 

Balbuena ainda afirmou que viu alguns jornalistas, sem citar nomes, aproveitando a declaração de Romero, que disse que a comemoração do Santos pelo empate era coisa de time pequeno, para menosprezar o Paraguai.

"Teve uma reação por parte de alguns jornalistas tirando o foco do futebol, falando do nosso país, e a gente se sente triste. Esse tipo de comentários, críticas e 'zoeiras' afetam nossa família e uma nação. Se dirigir a um país é algo grave e ainda vindo da imprensa. Você pode me criticar pela minha forma de jogar, mas quando mexem com seu país e sua família é algo grave. A gente se sentiu triste. A gente se sente querido no Brasil, não podemos falar que toda imprensa é assim, mas dou meu apoio a ele", desabafou.

O que mais irritou Balbuena e Romero foram declarações feitas por humoristas durante o programa Estádio 97 da rádio Energia 97, de São Paulo, em que os humoristas menosprezavam o Paraguaio e seus nativos, além de xingar Romero. 

O atacante não participou da partida contra o Mirassol. Segundo Carille, sua ausência nada tem a ver com a polêmica, mas sim, por questões físicas. 

"A decisão não foi pelo o que aconteceu no domingo. Ele tem de assumir as responsabilidades dele, já que não é mais um garoto. Não tenho que falar, ele sabe, por tudo o que chegou até ele", comentou. 

 

Mais conteúdo sobre:
Balbuena Corinthians Romero

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.