Balotelli se desculpa por postagem antissemita nas redes sociais

Atacante havia publicado imagem que relacionava moedas do personagem Mario com judeus; italiano pode ser punido pela FA

O Estado de S. Paulo

02 de dezembro de 2014 | 09h03

Em má fase no Liverpool, Mario Balotelli voltou às manchetes de veículos internacionais por suas atitudes extra-campo. Após receber críticas de internautas por uma postagem anti-racista que fazia humor negro com judeus, o atacante italiano voltou atrás e se desculpou nesta terça-feira após apagar o link de seu Instagram.

Na segunda-feira, Balotelli postou uma mensagem envolvendo o personagem Super Mario, da Nintendo, que em primeiro momento, tinha um teor contra o racismo. "Não seja racista. Seja como o Mário. Ele é um personagem italiano, criado por japonenses, que fala inglês e tem a aparência de um mexicano. Pula como um negro e pega moedas como um judeu."

A brincadeira pegou mal e após críticas, o jogador chegou a escrever em seu Twitter que sua mãe era judia. No entanto, já nesta terça-feira, o atleta do Liverpool se arrependeu da brincadeira.

"Eu peço desculpas se ofendi alguém. A postagem era para ser anti-racista com humor. Agora eu entendo que o contexto de fora possar ter feito um efeito oposto. Nem todos os mexicanos têm bigode, nem todos os negros pulam alto e nem todos os judeus amam dinheiro. Eu usei um desenho animado feito por outra pessoa que possui o Super Mario e penso que ele é engraçado e não ofensivo. Mais uma vez me desculpem", escreveu Balotelli em seu Twitter.

Por conta da postagem, o atacante pode receber uma punição. De acordo com o jornal The Guardian, um porta-voz da Federação Inglesa de Futebol (The FA) confirmou que a instituição já estuda o assunto e pode agir contra a publicação de Balotelli.

Por conta de uma lesão na virilha, o jogador desfalca o time de Anfield, que nesta terça-feira enfrenta o Leicester pelo Campeonato Inglês.

 

Get Adobe Flash player

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.