Bandeirante excluído da Copa do Brasil

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) convidou o Bragantino para disputar a Copa do Brasil de 2002 no lugar que seria, teoricamente, do Bandeirante de Birigüi, campeão da Copa do Interior. Esta, pelo menos, era a promessa da Federação Paulista de Futebol, que indicaria o campeão para ser um dos representantes do Estado na competição.Além do Bragantino, São Paulo será representado por todos os clubes que integram a Série A do Campeonato Brasileiro - Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Portuguesa, Guarani e Ponte Preta - além do Botafogo, vice-campeão paulista do ano passado. O São Caetano está excluído porque vai participar da Copa Libertadores.O Bragantino está relacionado entre os 16 clubes convidados sem um critério previamente estabelecido. A revolta maior é do Bandeirante, que venceu a competição realizada entre os 16 clubes excluídos do Brasileirão do ano passado. O presidente do clube, Ademir Wellington Oliveira, está inconformado: "Nós somos um clube organizado, enquanto o Bragantino não paga ninguém", desabafou, lembrando que a escolha do outro clube "com certeza teve a mão do Nabi Abi Chedid". O patrono do Bragantino, além de ser deputado estadual há 40 anos, é um dos cinco vice-presidentes da CBF e também ocupa uma vice-presidência da Confederação Sul-Americana. A perda na vaga na Copa do Brasil pode causar prejuízos imediatos ao clube de Birigüi, que recentemente conseguiu um patrocinador de camisa pelo valor de R$ 15 mil mensais. "Mas tudo foi feito em cima das competições que iríamos participar e, é claro, da Copa do Brasil", lamentou Oliveira, que também não deixou imune a atuação da Federação Paulista e de seu presidente, Eduardo José Farah. "Nós perdemos a vaga e até agora não recebemos a premiação prometida de R$ 150 mil pelo título da Copa do Interior", cobra Oliveira. Segundo ele, a FPF está se propondo a pagar apenas R$ 100 mil, provavelmente dividindo os R$ 200 mil que teria para o campeão e o vice. "Isso é absurdo", completou o presidente.O Bragantino tem sua estréia marcada para dia 23 de janeiro, próxima quarta-feira, em casa, contra o Paraná. De férias no litoral, Nabi Chedid evitou polêmica, mas foi enfático: "O Bragantino tem tradição no futebol. Já foi campeão paulista e brasileiro da segunda divisão, e vice-campeão da primeira divisão. Simplesmente fomos convidados", resumiu.Pega de surpresa com a decisão da CBF, a direção da Federação Paulista ainda não se posicionou. O vice-presidente Reinaldo Carneiro Bastos é quem pretende dar um parecer oficial sobre o caso. O presidente Eduardo José Farah, mesmo não estando licenciado, só está resolvendo as questões referentes ao torneio Rio-São Paulo, que começa no final de semana.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2002 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.