Bandeirinha Maria Elisa reconhece erro no clássico

Auxiliar diz que não viu Adriano colocar a mão na bola no lance do primeiro gol do São Paulo

Renato Alves, Especial para O Estado de S. Paulo

14 de abril de 2008 | 19h15

Não teve sol atrapalhando, muito menos erro intencional. "Marquei o que vi naquele momento", garantiu a auxiliar de arbitragem Maria Elisa Oliveira em relação ao gol feito com a mão por Adriano, do São Paulo, contra o Palmeiras no domingo. Ela disse que está tranqüila, confiante e preparada para uma possível convocação para atuar nas finais do Paulistão.   Veja também:  Muricy Ramalho avisa: não dá para administrar a vantagem  Luxemburgo: 'Agora o favoritismo é deles'   Vote: o gol de mão de Adriano foi intencional?   Vote: quem disputará a final do Paulistão?  Serviço: para quem vai ao clássico no Palestra  Palmeirenses torcem contra chuva, por causa do gramado  São Paulo decide reintegrar Fábio Santos   Em Ituverava, interior de São Paulo, onde mora, Maria Elisa assistiu pela primeira vez ao lance polêmico. "Nossa! É um lance muito difícil para a arbitragem. E se eu tivesse esses recursos da TV na hora, levantaria a bandeirinha e anularia o gol. Mas foi muito rápido e realmente naquele momento não vi dessa forma", explicou-se ela.   Maria Elisa disse que estava atenta à jogada onde o zagueiro são-paulino André Dias estava em posição de impedimento. "Dois jogadores estavam em posição legal e um não. Então, eu fiquei atenta a esse jogador. Se ele participasse da jogada, seria impedimento, o que não aconteceu." Elisa volta a afirmar que "havia vários jogadores em posições que não permitiam essa visualização. Eu não vi mesmo".   Mostrando tranqüilidade Maria Elisa contou ainda que o árbitro Paulo César Oliveira também não teve culpa no lance. "Confirmei o gol junto com ele, que veio até a mim e falei: foi gol. No vestiário ele me disse que o gol tinha sido legal. Que a bola tinha batido na mão do jogador", detalhou ela.   A auxiliar Maria Elisa reconheceu um erro considerado "técnico". No lance de um lateral a favor do Palmeiras que teria marcado impedimento. "Marquei o impedimento mas o Paulo César deu vantagem. O jogador do Palmeiras não entendeu e pôs a mão na bola. Aí foi falta para o São Paulo. Foi um erro meu, mas isso acontece e o lance não gerou prejuízo para qualquer equipe".   NÃO PODEM NOS CONDENAR Maria Elisa, que conversou com o coronel Marcos Marinho, no domingo e nesta segunda, não acredita que receberá qualquer punição pelo jogo de domingo. "Foi um erro de fato. Um erro que todo mundo pode ter em não podem nos condenar apenas por uma partida", afirmou ela.   Mas, segundo ela, se acontecer alguma coisa, a punição "servirá como aprendizado". "Não acredito que isso ocorra, mas se vier estarei preparada", afirmou ela. Maria Elisa revelou que está treinando e se condicionando para participar das partidas finais do campeonato. "Não errei e estou tranqüila", finalizou ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.