Flavio Tavares/Hoje em Dia
Flavio Tavares/Hoje em Dia

Bangu e Chapecoense negam proposta para contratar goleiro Bruno

Advogado havia declarado que clubes estavam interessados no jogador

O Estado de S.Paulo

05 de março de 2017 | 08h51

Em suas contas oficiais no Twitter, o Bangu e a Chapecoense negaram manter qualquer tipo de negociação para contratar o goleiro Bruno. Um dos advogados do atleta, Luan Veloso Coutinho, havia declarado que os clubes tinham interesse no jogador, especialmente a equipe carioca, uma das mais tradicionais do Rio de Janeiro. 

"O Bangu desconhece proposta enviada ao goleiro Bruno, conforme divulgado na imprensa", publicou a equipe em sua conta oficial no Twitter na sexta-feira, 3. Da mesma forma, a Chapecoense também se manifestou pela rede social: "Os boatos sobre a Chape e o goleiro Bruno são falsos. A Chape está muito bem representada com os paredões do elenco!", escreveu no sábado, 4. 

Por outro lado, o Betinense Futebol Clube, que disputa a segunda divisão do Campeonato Mineiro, afirmou que está buscando investimentos para negociar com o jogador. O interesse foi confirmado pelo presidente do clube, Junior André dos Santos, ao jornal O Estado de Minas.

Bruno está no Rio desde quinta-feira, 2, onde permanece com a mulher, a dentista Ingrid Calheiros, no Recreio dos Bandeirantes. Condenado a 22 anos e três meses pelo sequestro, cárcere privado e assassinato da ex-amante, Eliza Samudio, ele deixou na sexta-feira, 24, a Associação de Proteção de Assistência ao Condenado (Apac), em Santa Luzia, na Grande Belo Horizonte. O ex-jogador do Flamengo foi solto por habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão liminar do ministro Marco Aurélio Mello. O goleiro cumpriu seis anos e sete meses da pena./Com informações de Lucas Azevedo, especial para o Estado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.