Bangu procura psicólogo após goleada

A goleada para o São Paulo implicou na contratação de um psicólogo para o Bangu. Esmerino Júnior foi apresentado nesta segunda-feira aos atletas do clube para tentar ajudar na recuperação da equipe, que luta para evitar o rebaixamento no Rio-São Paulo. O profissional foi bem recebido e avisou que vai se empenhar para que o Bangu supere os dois próximos adversários: Flamengo e América. O que não parece ser tarefa muito difícil. Principalmente, quanto ao América, que jogou dez vezes no torneio e perdeu todas. "Nesses jogos, o emocional será mais importante que a parte técnica", disse o psicólogo. O técnico do Bangu, Miguel Ferreira, aprovou o reforço e comentou que a apatia do grupo, após sofrer sete gols do São Paulo, foi muito grande. "Voltamos para o Rio combalidos, com a sensação de ter sofrido um desastre, mas isso faz parte do futebol", disse Ferreira. Nesta terça-feira, antes do treino, o psicólogo vai-se reunir novamente com os jogadores no campo do Bangu, em Moça Bonita. Promete contar relatos sobre casos em que grupos conseguiram reverter situações dadas como perdidas. Junior vai acompanhar a concentração da equipe nas duas próximas partidas. Se o Bangu obtiver sucesso nas rodadas seguintes, ele deve permanecer como integrante da comissão técnica até o fim do Campeonato Carioca. A derrota por 7 a 0 do Bangu para o time de França e Kaká só não foi maior que a goleada do Fluminense sobre o América (8 a 0), na segunda rodada do Rio-São Paulo. Mas isso não serviu de consolo para o goleiro Eduardo, do Bangu. "Deixei o Morumbi envergonhado."

Agencia Estado,

18 Março 2002 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.