Alexander Nemenov / AFP
Alexander Nemenov / AFP

Banido pelo COI, Vitaly Mutko renuncia ao comando do futebol na Rússia

Vice-primeiro-ministro do país é considerado um dos responsáveis pelo escândalo de doping no esporte russo

Redação, Estadão Conteúdo

19 de dezembro de 2018 | 10h38

O vice-primeiro-ministro da Rússia, Vitaly Mutko, renunciou nesta quarta-feira à presidência da União de Futebol do país (RFU, na sigla em inglês). Sem maiores explicações, a entidade informou apenas que o dirigente deixou o cargo em reunião de seu comitê executivo.

Mutko é considerado um dos grandes responsáveis pelos escândalos recentes de doping no esporte russo. Justamente por isso, foi banido do movimento olímpico pelo resto da vida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), após uma investigação apontá-lo como líder do esquema estatal de proteção a atletas contra o controle antidoping.

O dirigente apelou junto à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a decisão da entidade, mas a decisão ainda não foi divulgada. Justamente para cuidar desta questão, Mutko chegou a afastar-se da RFU no fim de 2017, retornando somente no mês passado.

Desta vez, porém, o dirigente decidiu deixar o comando da entidade definitivamente. Sem ele, o chefe da Liga Russa, Sergey Priadkin, assumirá a presidência da RFU interinamente até fevereiro do ano que vem, quando acontecerá a eleição para decidir seu novo líder.

Braço direito do presidente Vladimir Putin, Mutko foi ministro do Esporte da Rússia entre 2008 e 2016 e um dos responsáveis por levar a Copa do Mundo de 2018 para o país. Nem mesmo a punição aplicada pelo COI abalou seu prestígio no futebol, que foi visto durante o torneio, quando ele inclusive acompanhou alguns treinamentos da seleção nacional.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.