Barata dá dor de cabeça ao Tenerife

O brasileiro Barata pode dar mais dores de cabeça ao Tenerife do que o simples desfalque na equipe pela suspensão por tempo indeterminado. O ex-jogador de Guarani e Fluminense foi punido, na quarta-feira, pelo tribunal esportivo da Real Federação Espanhola de Futebol por usar passaporte italiano falso. Agora, adversários querem tirar partido dessa sentença e recuperar pontos perdidos para a equipe das Ilhas Canárias. O principal interessado é o Bétis, da Segunda Divisão. A diretoria da equipe em que atua o ponta Denílson disse que vai "às últimas consequências" para reaver os três pontos que perdeu na derrota por 2 a 0, em Sevilha, diante do Tenerife, pelo campeonato da atual temporada. O presidente Manuel Ruiz de Lopera afirmou, nesta quinta-feira, que logo após o jogo seu clube havia entrado com recurso, pois sabia que a documentação de Barata era irregular. "Tínhamos provas de que ele usava passaporte de uma pessoa já falecida", disse Lopera. "Por isso, imediatamente avisamos à Federação. Agora, há a obrigação de que o caso seja investigado a fundo", argumentou o dirigente. O presidente do Bétis pede também punição severa ao brasileiro. "Ele é conivente e sabia o que estava acontecendo. O ministério do interior deve intervir." Barata, porém, se defende. O atleta continua a treinar no Tenerife e se diz "chocado" com o que aconteceu. Em sua defesa, alega ter sido enganado, pois não precisava desse artifício para jogar na Espanha."Eram suficientes meus gols para vir para a Espanha. E não documentos falsos", desabafou, em entrevista ao jornal "El Dia", das Ilhas Canárias. O presidente do Tenerife, Javier Perez, adianta que quer saber "quem foi responsável" pela falcatrua e adianta que o meia continuará no clube. "Ele é nosso patrimônio e vamos preservá-lo", avisou."Continuará aqui, na próxima temporada, se for o caso como estrangeiro", adiantou, embora tenha admitido ainda a possibilidade de repassá-lo para outro time do país ou mesmo do Brasil. Uma forma sutil, talvez, de livrar-se de um incômodo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.