Barbarense rebaixa o União São João

Diz o ditado que a união faz a força. Mas neste Campeonato Paulista, o dito popular se mostrou traiçoeiro. Neste domingo à tarde, se enfrentaram União São João e União Barbarense, pela última rodada do Paulistão, e salvo uma mudança nos tribunais, os dois times terão que disputar a Série A2 em 2005. O jogo, disputado no estádio Hermínio Ometto, em Araras, terminou com o placar de 3 a 1 para o Barbarense. Para o União São João, não há mais esperanças. Com apenas 20 pontos, acaba na 18ª colocação e nem uma mudança nos tribunais poderá mudar o seu destino. Rebaixado dentro de campo na rodada passada, o União Barbarense chegou aos 20 pontos, em 17º lugar, e encontrou nos tribunais a esperança de permanecer na Série A1. Com a iminente punição ao América pelo uso irregular do goleiro Pitarelli - o clube será julgado nesta segunda-feira e pode perder 24 pontos, sendo rebaixado -, o Barbarense também termina a competição com 20 pontos, mas com melhor saldo de gols do que o "irmão" União São João (-5 a -16) e se salva com a punição do América. Embora os times buscassem insistentemente o gol, a falta de qualidade técnica foi visível. O erro de passes no meio de campo era constante e o excesso de faltas também. Mesmo sem uma bela atuação, o Barbarense abriu o placar aos 35 minutos. O goleiro Gilson falhou ao tentar cortar cruzamento e o atacante Diogo Galvão não bobeou, aproveitando o rebote. Para a segunda etapa, o técnico Luiz Carlos Ferreira promoveu duas mudanças no União São João, deixando o time mais à frente. Mas, apesar da pressão, a total desorganização dificultava a ação dos atacantes. O empate chegou somente aos 29 minutos. Após cobrança de falta de Paulinho Kobayashi, no bate-rebate a bola sobrou para Cláudio, que empatou. Mas, um minuto depois, veio a decepção. Logo na saída de bola, Válter recebeu na frente e bateu cruzado. A bola ainda desviou no zagueiro Félix, traindo o goleiro Gílson. O destino do União São João estava decretado. Como pá de cal em cima do caixão, Gilson Batata marcou o terceiro gol do Barbarense, em cobrança de pênalti, no último lance do jogo, aos 48 minutos.

Agencia Estado,

17 de abril de 2005 | 18h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.