Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Barbieri diz que pressão em período eleitoral pesou para demissão

Dorival Junior chega para ocupar o lugar do treinador demitido pelo Flamengo

Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2018 | 20h42

Maurício Barbieri encerrou sua passagem como técnico do Flamengo nesta sexta-feira, na esteira dos resultados irregulares obtidos pela equipe nas últimas semanas. Demitido, ele vai dar lugar a Dorival Junior. Em sua despedida, Barbieri atribuiu sua saída ao aumento da pressão por resultados num período eleitoral do clube.

"A pressão por resultados é muito intensa, até pela grandeza do clube, mas em ano eleitoral isso se aflora ainda mais. Que esse momento político turbulento não atrapalhe na reta final", afirmou o técnico, sem citar nomes, em comunicado divulgado horas depois do anúncio de sua demissão.

As eleições no Flamengo estão marcadas para o fim do ano. Ricardo Lomba, o vice de futebol do clube, é o candidato da situação para suceder o presidente Eduardo Bandeira de Mello. E os resultados recentes ruins do time vinham preocupando a diretoria. Na oposição, o candidato mais forte até agora é Rodolfo Landim.

Barbieri se disse orgulhoso de ter trabalhado no Flamengo. "Foi um prazer trabalhar num dos maiores clubes do mundo. E fico satisfeito e orgulhoso, também, por ter ajudado na evolução de jovens talentos formados no clube e ter participado do crescimento profissional deles, o que sempre foi um lema no Flamengo. É um ciclo que se encerra e, agora, fico na torcida para que o time conquiste o título brasileiro", afirmou.

"Tenho certeza de que deixo as portas abertas para poder, quem sabe um dia, voltar e fazer um novo trabalho. Só tenho a agradecer a toda diretoria, comissão técnica, jogadores e demais funcionários. E ao torcedor rubro-negro, que é soberano e faz a diferença", declarou.

Barbieri assumiu o comando da equipe, em uma primeira experiência no comando de um time grande, no fim de março, após a eliminação do Flamengo nas semifinais do Campeonato Carioca pelo Botafogo. A queda causou a demissão de Paulo César Carpegiani - Barbieri era o seu auxiliar.

Inicialmente, o clube apostou em Barbieri como interino, enquanto não encontrava um substituto. Mas o bom rendimento do time, que foi para a pausa do Brasileirão por causa da Copa do Mundo na liderança, o levou a ser efetivado.

Na retomada do torneio nacional, porém, o Flamengo sofreu queda expressiva, perdendo a ponta e agora ocupando a quarta posição. E as eliminações em sequência, na Libertadores e na Copa do Brasil, acabaram provocando a demissão de Barbieri, de 36 anos, que não permanecerá na comissão técnica do Flamengo, ao contrário do que, por exemplo, fez recentemente o Corinthians com Osmar Loss.

Barbieri encerrou sua passagem pelo Flamengo com 39 jogos disputados, tendo acumulado 19 vitórias, 12 empates e oito derrotas. Além disso, levou a equipe até a semifinal da Copa do Brasil e até as oitavas de final da Libertadores.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
BarbieriFlamengoDorival Junior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.