Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Barbieri espera 'grande jogo' contra Corinthians e vê 'mais uma decisão' para Fla

Equipe rubro-negra, na liderança do Brasileirão com 17 pontos, recebe rival alvinegro, que ocupa a 3ª com 14 pontos, neste domingo

Estadão Conteúdo

01 Junho 2018 | 11h26

Depois de comandar o Flamengo na vitória por 2 a 0 sobre o Bahia, nesta quinta-feira, no Maracanã, o técnico Maurício Barbieri não se ilude com o fato de o seu time ter reassumido a liderança do Campeonato Brasileiro, com 17 pontos, e já cobrou a manutenção deste bom momento no duelo que a equipe carioca fará contra o Corinthians neste domingo, às 16 horas, novamente no Rio, pela nona rodada da competição.

+ Leia mais notícias sobre o Flamengo

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

+ Após gol e vitória do Fla, Diego diz que Brasil 'perde' por não tê-lo na Copa

O treinador exaltou o peso que a partida tem para os flamenguistas, que vão encarar um rival que assumiu a terceira posição da tabela, com 14 pontos, ao bater o América-MG por 1 a 0, também na última quinta, em São Paulo, e voltou a almejar a primeira colocação.

"Encaramos este jogo como mais uma decisão", afirmou o comandante, em entrevista coletiva na qual em seguida enfatizou a importância de o seu time saber aproveitar mais uma vez o forte apoio de sua torcida - 55.382 pessoas estiveram presentes no Maracanã na partida desta última quinta-feira.

"O Flamengo é muito forte em casa e um dos melhores mandantes, então contamos com essa força jogando aqui para buscarmos essa vitória. O Corinthians é uma grande equipe, tem um treinador jovem (Osmar Loss) assumindo (o lugar que era de Fábio Carille). Acho que será um grande jogo", completou Barbieri.

Já ao analisar o desempenho dos seus jogadores no triunfo sobre o Bahia, o treinador destacou que o time fez um "bom primeiro tempo", no qual abriu a vantagem de 2 a 0 com os gols de Diego e Lucas Paquetá, antes de cair de rendimento na etapa final. E ele destacou a importância de o time seguir atuando com coragem e buscando ser protagonista das partidas desde o início das mesmas.

"Sempre costumo dizer que temos que desequilibrar o adversário no ataque e fazer bem na defesa também. Conseguir fazer com que a equipe entenda que, quando não der para encaixar o ataque como fizemos no primeiro tempo, precisamos ter mais alternativas. Não quero que sejamos uma equipe que só espera na defesa para sair no contra-ataque", alertou o comandante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.