Barça cometeu crime fiscal de quase R$ 30 milhões por Neymar

Clube vem enfrentando problemas por causa da transferência. Meses atrás, o então presidente do clube renunciou ao cargo

Reuters

03 de junho de 2014 | 12h22

De acordo com um relatório divulgado pelo Ministério da Fazenda da Espanha, o Barcelona teria cometido um crime fiscal de cerca de 9,2 milhões de euros, aproximadamente R$ 28,5 milhões, em 2013, quando acertou a contratação de Neymar junto ao Santos.

O Barça, segundo o documento, cometeu fraude tributária entre os anos de 2011 e 2013, (2,4 milhões de euros correspondentes ao exercício de 2011 e 6,78 milhões ao de 2013) ao não declarar devidamente o pagamento às entidades vinculadas com o jogador. À essa quantia ainda poderiam se somar 2,6 milhões de euros relativos ao exercício de 2014, explicou o documento.

Embora o Barça tenha dito inicialmente que o jogador teria custado 57,1 milhões de euros, depois da abertura do caso e posterior demissão do então presidente do clube, Sandro Rosell, acabou reconhecendo que a transferência chegou a 86,2 milhões de euros.

O juiz convocou Rosell a prestar depoimento na qualidade de acusado no dia 13 de junho, quando também deverá se apresentar à corte um representante do clube para prestar esclarecimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
FutinterfutebolNeymarFC Barcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.