Barcelona ameaça ir à Justiça Comum

O presidente do Barcelona, Joan Gaspart, ameaça ir à Justiça Comum se Rivaldo for suspenso de 4 a 12 partidas, como se comenta na Espanha, por ter dado um soco em Juan Maria Lacruz, do Atlético de Bilbao, sábado, na partida em que o time catalão perdeu, em casa, por 2 a 1. "Os dois jogadores já foram julgados pelo árbitro, que mostrou o cartão amarelo a ambos. Não faz sentido a pena ser agravada mais tarde", afirmou Gasparat. O Comitê Organizador do Campeonato Espanhol abriu uma ação disciplinar contra Rivaldo, por causa da agressão a Lacruz. As pressões para que o brasileiro seja punido exemplarmente são grandes. O Comitê deu um prazo ao Barcelona até sexta-feira para que apresente a defesa do seu jogador. "Se Rivaldo for punido será um escândalo", disse Josep Maria Coronas, diretor jurídico do clube. "Não há precedente na história de um caso como esse, em que alguém é punido depois de já ter sido sancionado", argumenta Gaspart. Por meio de fotografias, fitas de vídeo e depoimentos de outros jogadores, Coronas tentará provar que, na realidade, Rivaldo foi agredido primeiro e só então reagiu. A direção do Barcelona irá solicitar que o árbitro do jogo, Bernardino González, seja convocado pelo Comitê Organizador para dar a sua versão do ocorrido. Ele interpretou a jogada como agressiva, claro, mas concluiu que os dois atletas não deveriam receber mais que o cartão amarelo. Se com tudo isso Rivaldo for ainda punido, "o Barcelona buscará seus direitos na Justiça comum", diz Coronas. O time é o quarto colocado na classificação, com 23 pontos, diante de 26 do La Coruña, o líder. Sábado o Barcelona enfrenta o Alavés, fora de casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.