José Jordan/AFP
José Jordan/AFP

Barcelona cede empate no final e vê vantagem na ponta diminuir

Líder do Espanhol vencia por 1 a 0, mas viu Valencia marcar no fim

Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2015 | 19h57

O Barcelona dominou o jogo, como de costume nos últimos tempos, e mais um placar elástico parecia questão de tempo. Mas o primeiro gol demorou a sair. Veio com Luis Suárez, aos 15 minutos do segundo tempo. O Valencia mesmo jogando em seu estádio, neste sábado, pela 14.ª rodada do Campeonato Espanhol, não conseguia reagir e tentava apenas se defender do bombardeio do melhor ataque do mundo. A quatro minutos do fim, no entanto, o time da casa aproveitou um erro de passe de Messi e puxou contra-ataque. Bakkali lançou Alcácer, que dominou no peito, girou e rolou para Mina empatar a partida em 1 a 1 e enlouquecer os torcedores locais, que comemoraram como se fosse um título.

O resultado interrompeu uma sequência de sete vitórias consecutivas do Barcelona no Campeonato Espanhol. No entanto, não alterou a posição do clube na tabela de classificação. A equipe catalã continua na liderança, com 34 pontos, mas agora tem apenas dois de vantagem sobre o Atlético de Madrid, que derrotou o Granada por 2 a 0 - gols do zagueiro uruguaio Diego Godin e do atacante francês Antoine Griezmann -, e quatro a mais do que o Real Madrid, que goleou o Getafe por 4 a 1.

Neymar teve uma grande atuação, mas ainda tem o Valencia como pedra no sapato. O adversário e o Málaga são os únicos clubes espanhóis da competição que o atacante brasileiro ainda não conseguiu marcar gols. Passou em branco nos quatro confrontos que teve contra cada um desses times.

E no duelo deste sábado não foi por falta de oportunidade. Logo aos cinco minutos de partida, Neymar tentou passe para Suárez e a defesa cortou. A bola voltou aos pés do brasileiro, que invadiu a área e chutou por cima do gol. Pouco depois, o brasileiro deu boa assistência para Messi, que errou o alvo.

Do principal trio de ataque do mundo, faltava apenas Suárez arriscar e ele perdeu boa chance aos 33 minutos. Neymar fez boa jogada pela esquerda e cruzou para o uruguaio, que emendou por cima do gol.

O Barcelona mantinha uma pressão avassaladora, mas pecava no último passe. Suárez cruzou alto demais para Neymar. O brasileiro fez um passe longo demais para Messi completar para o gol. Rakitic chutou por duas vezes em cima da zaga adversária e o primeiro tempo terminou 0 a 0.

O jogo continuou igual no segundo tempo. Aos 3 minutos, Neymar tocou de calcanhar para Suárez, que parou no goleiro Domenech. Finalmente aos 15 saiu o gol. Messi lançou para Suárez em posição irregular. O uruguaio ganhou no jogo de corpo do adversário, invadiu a área e mandou uma bomba sem chances para o goleiro: 1 a 0.

O inglês Gary Neville, novo treinador do Valencia, observava das tribunas o passeio do adversário. Viu ainda Neymar fazer fila e da entrada da área errar o alvo por centímetros. Também observou Messi bater fraco em cima do goleiro. Suárez ainda chutou para fora cruzado perdendo outra oportunidade. A vitória catalã parecia garantida, mas aos 41 minutos Messi errou passe para Iniesta. Bakkali roubou a bola e lançou para Alcácer, que dominou no peito, girou e tirou os dois zagueiros do Barcelona de combate. Mina veio de trás e encheu o pé para deixar tudo igual.

O gol incendiou o estádio do Valencia. Os torcedores vibravam como se o gol do título do campeonato. Embalado, o time da casa ainda teve a oportunidade de virar nos acréscimos, mas Bravo fez a defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.