Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Barcelona conta com gol de Neymar para superar o Atlético

Messi e Suárez marcam os outros gols do time catalão na vitória por 3 a 1, no Camp Nou, em jogo nervoso pelo Campeonato Espanhol

Estadão Conteúdo

11 de janeiro de 2015 | 20h05

Ao menos neste domingo, o Barcelona esqueceu a intensa crise que atravessa fora de campo e voltou a desempenhar um futebol que agradasse sua torcida. Não só pela qualidade mostrada, traduzida nos gols de Neymar, Suárez e Messi, mas também pela garra e determinação durante os 90 minutos. O resultado foi uma importante vitória em jogo extremamente nervoso diante do Atlético de Madrid, por 3 a 1, no Camp Nou, pelo Campeonato Espanhol.

Nem as mudanças na diretoria, nem a antecipação da eleição presidencial para o meio deste ano, muito menos uma suposta crise no relacionamento de Luis Enrique com Messi. Nada disso fez com que o Barcelona diminuísse o ritmo neste domingo. Pior para o Atlético de Madrid, que não se encontrou e pouco ameaçou a vitória do adversário.

O resultado levou o Barcelona a 41 pontos na segunda colocação, apenas um atrás do Real, que ainda tem um jogo a menos. Na próxima rodada, os catalães pegam o Deportivo La Coruña, domingo que vem. O Atlético, por sua vez, estacionou nos 38 pontos e é o terceiro colocado. Também no domingo, recebe o Granada em Madri.

O JOGO

O primeiro tempo foi todo do Barcelona, que não demorou para levar perigo ao gol defendido por Moya. Logo aos nove minutos, Neymar fez ótima jogada, arrancou pelo meio e tocou para Messi, que passou pelo seu marcador mas na hora de bater pegou mal, de direita.

Apenas dois minutos depois, no entanto, o time catalão abriu o placar. Messi tabelou com Daniel Alves, deu lindo drible em Godín e cruzou para Suárez. O uruguaio tentou o domínio com a coxa e perdeu o controle da bola, mas a sobra ficou com Neymar, que aproveitou a furada de Juanfran para tocar para a rede.

O gol não diminuiu o ritmo do Barcelona, que seguiu melhorar, sem dar chances ao adversário, até marcar o segundo aos 34 minutos. Messi recebeu pelo meio, dominou cortando a zaga e rolou no meio para Suárez, que chegou batendo de primeira. Os jogadores do Atlético reclamaram muito de um toque de mão do argentino no início da jogada, mas o árbitro não marcou.

Com a desvantagem, os madrilenhos voltaram para o segundo tempo diferentes, mais ofensivos, e foram recompensados aos 10 minutos, em lance bastante polêmico. Jesús Gámez invadiu a área pela esquerda, tentou o corte e levou um toque de leve de Messi. O espanhol caiu no gramado e o árbitro deu pênalti, que Mandzukic bateu firme, quase no meio do gol, para diminuir.

O gol deixou o jogo mais nervoso, mas o Atlético não conseguia imprimir pressão no adversário. Fernando Torres entrou, mas novamente pouco tocou na bola. Para piorar, o Barcelona era perigoso no contra-ataque e quase ampliou aos 38, quando Neymar foi à linha de fundo e cruzou para Messi, que chutou em cima de Moya.

Messi não perderia duas chances consecutivas e aos 42 ele finalmente foi à rede. Ele recebeu pela direita e tabelou com Rakitic. A zaga do Atlético mais uma vez bobeou e aí ficou fácil para o argentino tocar no canto esquerdo de Moya para selar o placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.