Barcelona definirá futuro de Ronaldinho Gaúcho em três dias

Jogador, empresário, técnico e diretores esportivos do clube se reuniram nesta segunda para discutir o futuro

EFE

14 de julho de 2008 | 15h29

O brasileiro Ronaldinho Gaúcho se reuniu nesta segunda-feira com dirigentes do Barcelona e ouviu deles que terá uma definição sobre seu futuro em até três dias, provavelmente para Milan ou Manchester City.  Veja também: Presidente do Barça admite proposta do City por Ronaldinho Milan diz que Ronaldinho Gaúcho só quer jogar pelo seu time Guardiola diz que 'Ronaldinho Gaúcho sairá bem do Barcelona' O meia-atacante se reuniu no Camp Nou com o ex-jogador Assis, seu irmão e representante; o novo técnico do Barcelona, Josep Guardiola; e os diretores esportivo, Txiki Begiristain e de futebol, Raül Sanllehi.  Caso uma eventual negociação com italianos ou ingleses não seja fechada à tempo, o brasileiro voltaria aos treinos do time - cortando o período de recuperação física com Paulo Paixão, preparador da seleção, visando os Jogos Olímpicos de Pequim.  Assis levou ao encontro a oferta do Milan, cujos valores não foram informados - a do Manchester City é de 32 milhões de euros (aproximadamente R$ 51 milhões), cifra confirmada por Joan Laporta, presidente do clube.  A preferência de Ronaldinho Gaúcho é pelo rubro-negro de Milão, prova disso é que ele e Assis só se encontraram com representantes do Milan. Os italianos estão em Barcelona para apresentar uma oferta melhor que a primeira, descartada pelos catalães pelo valor baixo.  Inicialmente, o Barcelona não teria nenhum problema para aceitar a oferta italiana, mas desde que esta iguale ou supere a apresentada formalmente semana passada pelo Manchester City.  Nos últimos meses, o Milan apontou seu interesse por Ronaldinho Gaúcho, mas sempre através da imprensa e nunca mencionando valores. Entretanto, tudo indica que o Barcelona não deixará escapar a chance de faturar com a transferência, seja com dinheiro ou jogadores para reforçar o elenco - que podem ser oferecidos pelos italianos.  No final dos anos 90, o rubro-negro de Milão forneceu muitos jogadores para o Barça - entre eles o atacante Kluivert. Logo após a saída da reunião desta segunda, Assis rumou para o hotel em que estão hospedados os italianos, a fim de apresentar a nova situação. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.