Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Barcelona destrói Real Madrid: 5 a 0

Equipe catalã dá espetáculo no Camp Nou, goleia rival e assume a liderança do Campeonato Espanhol

Efe,

29 de novembro de 2010 | 19h57

BARCELONA - Com uma atuação coletiva soberba, especialmente no primeiro tempo, o Barcelona venceu com autoridade nesta segunda-feira o grande clássico do futebol espanhol ao golear o Real Madrid em casa, no estádio Camp Nou, por 5 a 0.

De quebra, os catalães chegaram aos 34 pontos na tabela do Campeonato Espanhol e assumiram a liderança, ultrapassando justamente o maior rival, que tinha um ponto a mais e agora está estacionado nos 32.

Os gols da fácil vitória do Barça foram marcados por Villa, duas vezes, Xavi, Pedro e Jeffren.

Contando com apoio maciço da torcida, que lotou o Camp Nou e formou um belo mosaico nas arquibancadas, os anfitriões começaram a partida com um toque de bola envolvente, e não demoraram a dominar os merengues.

Logo aos seis minutos, Puyol foi ao ataque e rolou para Messi. Com muita categoria, o argentino arriscou por cobertura, e a bola bateu na trave do goleiro Casillas. Na continuação, Daniel Alves chutou de fora da área, com perigo, mas para fora.

Pressionada, a defesa do Real não conseguiu impedir que o Barça abrisse o placar com apenas dez minutos de jogo. Após receber passe de Iniesta, Xavi aproveitou falha de Marcelo e, dentro da área, bateu na saída de Casillas para fazer 1 a 0.

Apagado, Cristiano Ronaldo era bem marcado por Puyol, e com isso o ataque do time catalão conseguia trabalhar com tranquilidade, com seu toque de bola característico. Foi assim que, aos 17, surgiu a jogada do segundo gol. Xavi fez inversão de jogada com David Villa, que ganhou da marcação e chutou rasteiro. Casillas defendeu parcialmente, Pedro ficou com o rebote, passou por Marcelo e tocou para o gol vazio.

Mesmo com o 2 a 0 no placar, o Barcelona não diminuiu o ritmo, chegando a dar a impressão de que conseguiria uma goleada. David Villa, aos 19, chegou livre à intermediária após receber passe em profundidade, mas o árbitro marcou impedimento.

Se com a bola estava difícil dar o ar da graça, Cristiano Ronaldo conseguiu chamar a atenção aos 31 minutos quando tentou pegar a bola do técnico do Barcelona, Josep Guardiola, e o empurrou, dando início a uma confusão que envolveu vários jogadores.

Quando os ânimos se acalmaram, pouco depois, o astro português levou perigo em cobrança de falta ao bater à direita do gol de Victor Valdés.

Do outro lado, embora sem o mesmo brilho de atuações recentes, Lionel Messi se destacava em algumas jogadas individuais, e em uma delas quase ampliou o marcador aos 40 minutos, após arrancar na intermediária, passar pela marcação e chutar por cima do gol de Casillas.

No segundo tempo, com ritmo ditado por Xavi - o grande nome da partida -, a equipe catalã seguiu pressionando, apesar da tentativa do português José Mourinho, técnico do Real Madrid, de mudar o panorama do jogo no intervalo ao trocar Özil por Diarra.

A substituição, porém, não surtiu o efeito desejado no meio de campo, e o Barcelona conseguiu marcar mais três gols.

O primeiro deles veio aos nove minutos, quando Messi deu bela enfiada de bola para Villa, que recebeu o passe dentro da área e, de frente para Casillas, só teve o trabalho de completar para o fundo da rede, na saída do goleiro.

Aos 12, a goleada se concretizou com mais um lance de autoria de Villa. O atacante recebeu novo belo passe de Messi e tocou por baixo de Casillas para fazer 4 a 0.

Mourinho substituiu o lateral brasileiro Marcelo, completamente envolvido pela marcação e com fraca atuação na defesa, por Arbeloa, e mesmo assim viu sua equipe continuar acuada no campo defensivo.

O ritmo do jogo diminuiu a partir de então, mas em nenhum momento o Barcelona se viu ameaçado. Aos 45, ainda chegou ao quinto gol, marcado por Jeffren, que havia entrado pouco tempo antes no lugar de Pedro.

Mais uma confusão aconteceu após o gol, mas desta vez houve expulsão - a de Sergio Ramos, que acertou Messi e depois empurrou Puyol.

Esta foi a primeira derrota de uma equipe comandada pelo técnico José Mourinho por 5 a 0, resultado que o português, conhecido pelo temperamento forte, deverá ter muita dificuldade para assimilar, assim como seus comandados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.