Pau Barrena/AFP
Pau Barrena/AFP

Na reformulação conduzida por Koeman, Barcelona vai se desfazer de grandes jogadores, como Suárez

Além de Messi e do atacante uruguaio, outros importantes nomes devem deixar o clube na próxima temporada, como Vidal

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2020 | 11h02

A limpa no elenco que o novo técnico do Barcelona, Koeman, se propõe fazer a pedido da diretoria do clube não deixará pedra sobre pedra no time catalão. Essa formação que o treinador conhece na ponta da língua não vai mais existir. A principal baixa é a do camisa 9 Luis Suárez, que ganha 16 milhões de euros (R$ 105 milhões) por temporada. O uruguaio tem 33 anos e sua permanência no clube tem sido mantida pela dupla que faz com Messi. Suárez já teve de convencer outros treinadores da sua importância no grupo. Messi e Neymar ajudaram muito nisso. Mas não é de hoje que o Barcelona olha para seu centroavante com certa desconfiança

Koeman já avisou Suárez de sua saída. O jogador não pretende abrir mão de nada dos seus vencimentos, o que dizer que o clube terá de gastar bom dianheiro com sua rescisão. E de outros também.

O brasileiro Arthur foi o primeiro a pular fora do barco. O time o repassou para a Juventus, da Itália, mas o volante não quis saber de manter seu vínculo enquanto não tinha de se apresentar no clube de Cristiano Ronaldo. Simplesmente não apareceu mais para treinar.

Dois outros jogadores do Barcelona também já teriam sido comunicados de que não farão mais parte do elenco de 2020/21. São eles o chileno Arturo Vidal e o croata Ivan Rakitic. Ao novo treinador foi dada essa missão, de olhar nos olhos de cada um deles e dizer que o ciclo no time catalão chegou ao fim. Todos eles têm contratos vigentes e isso será negociado.

Uma das intenções desse "novo Barcelona" é rejuvenecer o elenco. Os mais veteranos serão os mais visados. Vale lembrar que nenhum deles se manifestou ainda publicamente. Mas é inegável que o clube trabalha com essa reformulação. "Esta é a primeira decisão (demissão do técnico Setién) dentro de uma ampla reestruturação do time principal, que será realizada pelos atuais integrantes da comissão técnica e pelo novo treinador, que será anunciado nos próximos dias", informou o presidente do clube em comunicado tão logo o time perdeu para o Bayern de Munique na Liga dos Campeões por 8 a 2. 

Nesse processo de reestruturação, apenas um jogador seria poupado: Lionel Messi. A mudança em tudo e todos não chegaria ao camisa 10 do clube. Messi, no entanto, se colocou à disposição antes de informar que ele não quer mais vestir a camisa da equipe. Sua decisão ainda será discutida, embora ela parece em caráter irrevogável.

Há outro caso difícil no elenco a ser discutido. É o de Gerard Piqué. O zagueiro do time e uma das figuras mais emblemáticas do Barcelona nos últimos anos também disse que deixaria o clube se assim a diretoria quisesse e se isso for o melhor para o Barcelona. "Estamos no fundo do paço", disse o beque após a surra para o Bayern. Chamou a derrota por 8 a 2 de "vergonha".

"A partida foi horrível, uma sensação nefasta. Vergonha é a palavra. Não se pode competir assim e jogar uma competição europeia assim. Não é a primeira nem a segunda nem a terceira vez. Estamos no fundo do poço. É muito duro e espero que sirva para algo", disse Piqué, que ainda não tem o futuro decidido no clube catalão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.