Barcelona diz que Manchester City lidera corrida por Ronaldinho

O Manchester City está liderando acorrida pela contratação do meia-atacante brasileiro RonaldinhoGaúcho, do Barcelona, informou o presidente do clube espanhol,Joan Laporta, nesta segunda-feira. Ronaldinho é aguardado nesta segunda-feira na sede doBarcelona para discutir seu futuro profissional, segundo aassessoria de imprensa do clube. Milan e Manchester City são osinteressados. De acordo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF),que vem realizando treinos físicos com o jogador em PortoAlegre, desde a semana passada, visando a Olimpíada de Pequim,Ronaldinho embarcou na noite de domingo para a cidadeespanhola. A imprensa espanhola informou que o Barcelona teriarecebido uma proposta firme de 32 milhões de euros (50,27milhões de dólares) do Manchester City pelo jogadorbrasileiro. "Ronaldinho tem duas propostas interessantes e ele está seinclinando mais para o Manchester City", disse Laporta à RádioCatalunya. "Esperamos conseguir resolver essa situação nestasemana". O presidente-executivo do Milan, Adriano Galliani, tambémviajou para Barcelona na esperança de contratar o brasileiro. Ronaldinho, de 28 anos, faltou aos exames físicos dapré-temporada na manhã desta segunda-feira, já sob comando donovo treinador, Pep Guardiola. Guardiola já havia anunciado que Ronaldinho não faz partede seus planos para o clube, mas ainda assim o Barcelona disseque o aguardava no primeiro treino da temporada. O time catalão também havia dito que não pretende liberarRonaldinho para a Olimpíada, apesar de o jogador ter sidoconvocado pelo técnico Dunga com um dos atletas acima dos 23anos. Ronaldinho brilhou pelo Barça na época do bicampeonatoespanhol e do título europeu de 2006. Na temporada passada,porém, ele sofreu contusões e perdeu a forma, sendo relegado àcondição de reserva. Após dois anos sem títulos, o Barcelona já deixou claro quenão tem interesse em manter consigo o ex-melhor do mundo. Masenfrenta dificuldades para vende-lo a outra equipe. (Por Mark Elkington)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.