Barcelona e Real Madrid é marcado por brigas e provocações

Entre encontrões em Messi e empurrões de Cristiano Ronaldo, lance mais polêmico envolveu José Mourinho e o falecido Tito Vilanova

O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 18h33

Poucos clássicos representam tanto o sentimento dos torcedores quanto Real Madrid e Barcelona. De um lado, os ricos merengues que além de títulos desejam ver o clube com os melhores jogadores do mundo. Do outro, fãs que acreditam que o clube representa não apenas um sentimento de rivalidade esportiva, mas também de superioridade étnica (Catalunha) num grito de liberdade. Visto como um dos maiores jogos do mundo, o El Clasico também vê esses sentimentos representados em campo na figura dos jogadores, que em certos momentos, apelam à violência para vencer.

Principal jogador do Barcelona e eleito quatro vezes o melhor do mundo, Lionel Messi costuma ser o jogador mais caçado pelos madrilenhos. Mesmo que a fama de zagueiro violento seja de Pepe, seu companheiro Sergio Ramos é um dos defensores que chegam firmes nas divididas, e possui histórico de cartões amarelos e vermelhos, além de empurrões. Sergio Ramos não é da turma do 'deixa disso'.

A principal briga dos últimos anos entre Real Madrid e Barcelona, no entanto, teve início com participação brasileira. No fim da decisão da Supercopa da Espanha, em 17 de agosto de 2011, em que o Barcelona festejava o título, Marcelo deu um carrinho em Cesc Fàbregas acompanhado de uma tesoura. O lance gerou confusão generalizada e no meio dela, José Mourinho, ainda técnico do Real Madrid, deu um tapa no rosto de Tito Vilanova, que à época era auxiliar de Pep Guardiola no Barcelona. Na confusão, o lateral-esquerdo e o meia alemão Mezut Özil levaram vermelho e deixaram o campo mais cedo.

PORTUGUÊS ESQUENTADO

Melhor jogador do mundo da atualidade, Cristiano Ronaldo também costuma ser marcado de perto por jogadores como Sergio Busquets, Gerard Piqué e Javier Mascherano. O lance de briga mais emblemático envolvendo o português ocorreu na histórica goleada que o Real Madrid sofreu por 5 a 0. Na partida, jogada no Camp Nou em 2010, o atacante, irritado com o placar, deu uma espécie de empurrão em Pep Guardiola após entender que o treinador catalão estava retardando a cobrança de um lateral a favor do Real Madrid. Irritado, o goleiro Victor Valdés saiu de sua meta e foi tirar satisfação com o camisa 7 merengue.

Ídolo do Barcelona como atacante, Luis Enrique vai fazer seu primeiro clássico contra o Real Madrid como técnico. O ex-jogador, que também chegou a atuar no time da capital espanhola, já foi protagonista de confusão na temporada de 2003. Depois de Zidane usar o braço para cometer falta em Puyol, o ex-camisa 21 do Barcelona partiu para cima do francês e também levou um tapa.

Na partida que ocorre neste sábado, às 14h, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, Real Madrid e Barcelona prometem protagonizar mais um clássico quente. De um lado, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez e Gareth Bale. Do outro, Lionel Messi, Neymar e Luis Suárez, que estreia oficialmente pela equipe catalã após cumprir suspensão por mordida na Copa do Mundo. Além de um grande jogo, os fãs do Campeonato Espanhol podem esperar um clássico de ânimos alterados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.