Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Barcelona mostra trunfos para convencer Neymar a jogar no clube

Time catalão oferece salário menor que o Real, mas lista vantagens a médio prazo

Luis Augusto Monaco, O Estado de S. Paulo

06 de setembro de 2011 | 23h50

SÃO PAULO - O Barcelona ganhou a preferência da diretoria do Santos na disputa por Neymar pela maneira como se comportou desde o primeiro momento, tratando com o clube e só procurando o jogador depois de ter sido autorizado por Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. E agora usa seus trunfos para convencer o garoto a vestir a camisa que sempre quis usar.

Dentro do clube catalão se sabe que o salário oferecido pelo Real Madrid é quase 35% superior (6 milhões contra 4 milhões de euros, ou R$ 14 milhões contra R$ 9,3 milhões). É uma diferença grande, mas o Barça não pretende entrar em leilão por entender que seu pacote é mais vantajoso para um craque de 19 anos.

O presidente Sandro Rosell diz desde o começo das conversas que se Neymar quisesse assinar com o Barça só por dinheiro nem valeria a pena negociar. Ele queria um jogador que entendesse a filosofia do clube e soubesse que "o dinheiro virá naturalmente". Não por acaso, se lembra em Barcelona que Ronaldinho teve seis aumentos durante seus cinco anos no clube.

O primeiro diferencial apontado pelo Barça diz respeito aos ganhos com publicidade. O Real fica com 50% dos contratos que suas estrelas assinam depois que chegam ao clube, e o Barcelona não fica com um centavo da imagem de seus jogadores.

A relação do clube com a Nike é outro chamariz. Sandro Rosell teve uma trajetória importante na empresa, e foi seu diretor de marketing na América Latina durante anos. Entre seus assessores diretos estão pessoas que também trabalharam na Nike, como Raúl Sanllehí.

Neymar recebe da Nike 800 mil euros (R$ 1,8 milhão) por ano. Se for para o Barça, que é o time mais valioso para a empresa em todo o mundo, esse valor será triplicado de cara. Para a Nike não é interessante vê-lo no Real Madrid, que é vestido pela Adidas, porque lá seu garoto-propaganda é Cristiano Ronaldo.

CLIMA FAVORÁVEL

O poder da marca Barcelona leva Messi a faturar mais com publicidade do que Cristiano Ronaldo, embora o argentino seja baixinho, tímido e não tenha a "estampa" do português. Seus contratos chegam a 20 milhões de euros (R$ 46,6 milhões) por ano, contra 18 milhões de euros (R$ 42 milhões) de Cristiano.

O estilo de jogo do time e o ambiente no vestiário também são armas do Barcelona. Seus dirigentes dizem com orgulho que Fábregas e Mascherano aceitaram ganhar menos do que recebiam na Inglaterra pelo prazer de jogar no time, e o chileno Alexis Sánchez recusou uma oferta mais vantajosa do Manchester City para ir para lá.

O elenco do Barça, como nenhum outro entre os grandes do mundo, tem um núcleo que se conhece há 10, 15 anos: Xavi, Messi, Puyol, Iniesta... No Real são vários os casos de estrangeiros que se sentiram rejeitados pelos "donos do vestiário".

Por fim, Barcelona oferece a Neymar um clima mais quente do que o de Madri e a chance de continuar vivendo de frente para o mar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.