Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Barcelona paga mais 9 milhões de euros por Neymar

Valor é referente aos impostos 'atrasados' da negociação da estrela brasileira

O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2014 | 05h00

BARCELONA - O Barcelona fará nesta segunda-feira o pagamento às autoridades espanholas de 9 milhões (R$ 29 milhões) em impostos "atrasados" pela contratação de Neymar, segundo informação do jornal La Vanguardia. Esse valor foi estabelecido pelo juiz Pablo Ruz, responsável pelo polêmico caso da transferência do craque para o Barça.

A intenção da diretoria do clube catalão é clara: admitir que ela deixou de pagar todos os impostos relativos à "operação Neymar" e, assim, tentar escapar de punições, como uma pesada multa. Trata-se de uma declaração complementar de impostos, feita com o objetivo de livrar os dirigentes do Barça de responsabilidades penais.

O Código Penal espanhol estabelece que uma pessoa, seja física ou jurídica, fica livre de qualquer responsabilidade legal se apresentar a declaração complementar antes de ser notificada de que está sendo investigada pela Receita do país. Ocorre que o Barça já foi notificado pelo juiz Ruz, mas seu departamento jurídico defende a tese de que, nesse caso específico, o pagamento dos  9 milhões bastam para que o clube fique livre de punições.

Essa ideia certamente provocará um intenso debate jurídico na Espanha, ampliando ainda mais a duração do “caso Neymar”. O técnico Gerardo Martino diz que tem feito de tudo para evitar que o jogador seja afetado pelo problema, embora admita que isso não é fácil. “Essa situação não é normal no futebol”, falou o argentino.

TROPEÇO

O Atlético de Madrid levou um tombo ontem no Campeonato Espanhol. O time da capital perdeu para o Osasuna por 3 a 0, fora de casa, e ficou a três pontos do Real Madrid, agora o líder isolado. O Barça está empatado com o Atlético.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterNeymarFC Barcelonafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.