Albert Gea/ Reuters
Albert Gea/ Reuters

Barcelona perde 26 mil sócios e vê crise financeira piorar, diz rádio catalã

Prejuízo seria na casa de 40 milhões de euros (R$ 251 milhões) e aconteceu antes mesmo do anúncio da saída de Messi

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2021 | 15h48

O impacto da pandemia nas contas do Barcelona segue forte: o clube perdeu 26 mil sócios-torcedores, que decidiram não renovar o plano que dava acesso gratuito aos jogos do clube no Camp Nou para a temporada 2021-22. Com a queda, o número de sócios desta modalidade foi de cerca de 83 mil para 57 mil, gerando um prejuízo ao clube de 40 milhões de euros (R$ 251 milhões). O Barcelona atravessa grave financeira, que ocasionou a saída de Messi do time. As informações são da Catalunya Radio.

Contudo, a saída do maior ídolo do clube não foi a causa na queda do número de sócios. De acordo com a rádio, os sócios decidiram não renovar o plano anual antes da data-limite de 1º de agosto, dias antes do Barcelona anunciar que o contrato de Messi não seria renovado.

Outros impactos financeiros para o clube são as limitações que ainda existem para a capacidade dos estádios. O Camp Nou pode receber até 83 mil pessoas, mas poderá receber um máximo de 57 mil pessoas nesta temporada; assim, o clube deve ter perdas de 34 milhões de euros (213 milhões) em vendas de ingressos.

Apesar da saída de Messi não ser a causa da queda no número de sócios, o Barcelona deve ter mais dificuldade para encher os estádios sem ele: na primeira rodada do Campeonato Espanhol, apenas 15 mil sócios com direito a ingresso gratuito fizeram reservas de cadeiras; a capacidade permitida nesta rodada foi de 30 mil pessoas.

A crise financeira do Barcelona é muito séria, com o presidente do clube, Joan Laporta, confirmando que a dívida estava na casa de 1,16 bilhão de euros (R$7,2 bilhões), sendo que boa parte dos débitos é de curto prazo. Essa situação impediu que o contrato de Messi fosse renovado, apesar do argentino aceitar reduzir o salário pela metade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.