Alejandro García/EFE
Alejandro García/EFE

Barcelona pode ser excluído do Espanhol por 'caso Neymar'

Jornal afirma que fiscal também vai pedir prisão de dirigentes

O Estado de S. Paulo

15 Março 2015 | 17h36

A polêmica envolvendo a transferência de Neymar para o Barcelona, concretizada no meio de 2013, ainda causa muita dor de cabeça ao clube. Segundo o jornal espanhol Mundo Deportivo, José Perals, fiscal responsável pelo inquérito que investiga suposta sonegação de impostos na contratação do brasileiro pelo Barça, pedirá na Justiça que a equipe seja excluída em até duas temporadas do Campeonato Espanhol.

O periódico também afirma que o fiscal entrou com um mandato de prisão contra o ex-presidente catalão Sandro Rossel - mandatário do clube à época da negociação - e Josep Bartomeu, atual presidente. Rossel, inclusive, renunciou ao cargo no começo do ano passado em meio às denúncias de irregularidades na contratação de Neymar.

A matéria do veículo espanhol vem logo depois do juiz da Audiência Nacional de Madri, Pablo Ruiz, que também investiga a transferência, indiciar  Rossel, Bartomeu e o próprio Barcelona por fraude contra a Fazenda Pública. O indiciados ainda terão que prestar depoimento, em data a ser marcada.

ENTENDA O CASO
A investigação feita pela Justiça espanhola tem como objetivo esclarecer se a contratação de Neymar foi feita por um valor superior aos 57 milhões de euros (R$ 193,5 milhões) que foram declarados. De acordo com a acusação, o real custo da negociação é estimado em cerca de 83 milhões de euros (R$ 281,8 milhões). Nesse valor, estão contabilizadas o montante pago ao jogador como luvas, as parcerias sociais e de marketing e o acordo de prioridade com o Santos.

Ao não considerar esses itens, o Barcelona deixou de pagar um total de 12,1 milhões de euros, o que faria com que o custo real da contratação de Neymar chegasse a 94,8 milhões de euros (R$ 321,8 milhões). Os cálculos são da agência tributária espanhola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.