Josep Lago/AFP
Josep Lago/AFP

Barcelona rebate tribunal, impasse persiste e Neymar pode até viajar para Madri

Brasileiro foi suspenso por três jogos após ser expulso e xingar o quarto árbitro na partida contra o Málaga

Estadão Conteudo

22 de abril de 2017 | 19h58

A polêmica envolvendo a possível escalação de Neymar está se tornando quase tão grande quanto a rivalidade entre Barcelona e Real Madrid, que se enfrentam neste domingo, às 15h45 (de Brasília), no estádio Santiago Bernabéu, em clássico decisivo na disputa pelo título do Campeonato Espanhol. Neste sábado, horas depois de o Tribunal Administrativo do Esporte (TAD, na sigla em espanhol) da Espanha afirmar que o brasileiro seguia suspenso do confronto, o clube catalão questionou a decisão com um comunicado em seu site.


Entre os questionamentos, o Barcelona expõe sua surpresa porque o presidente da TAD, Enrique Arnaldo, afirmou que não podia solucionar o recurso apresentado pelo clube contra a suspensão porque não era possível fazer a reunião que julgaria a apelação, sendo que o clube apresentou a mesma dentro do prazo exigido.



O Barça questiona, ainda, o presidente do TAD por ter apresentado sua opinião sobre o caso sem respeitar os procedimentos formais, após não ter encontrado os membros para realizar a reunião.


"Assim, o Barcelona segue esperando a resolução do TAD ao recurso apresentado, dando por direito que o presidente deste órgão jurisdicional não participe da decisão para não predispor a reunião com suas opiniões já expressas publicamente", conclui o clube no comunicado. Dada à incisividade do Barcelona, a imprensa espanhola especula que Neymar deve, inclusive, viajar para Madri neste domingo.


A nota do Barcelona foi lançada pouco depois de o TAD afirmar que, como não conseguirá se reunir até o jogo, o atacante brasileiro seguiria suspenso. "As punições impostas por meio do correspondente expediente disciplinar serão imediatamente mantidas sem que as reclamações e recursos que pedem contra elas paralisem ou suspendam sua execução", advertiu o TAD por meio de um comunicado.


Pouco antes, o presidente do TAD, Enrique Arnaldo, havia cancelado a reunião extraordinária em que o organismo deveria aceitar ou rejeitar de modo cautelar a ação do Barcelona contra a punição imposta a Neymar, uma vez que dois membros da corte não tinham sido localizados.


"Nós nunca nos reunimos depois de sexta-feira pela manhã", esclareceu Arnaldo. Assim, como a reunião não pôde ser realizada, o TAD confirmou que manterá a suspensão até que o julgamento seja realizado.


O brasileiro foi punido ao ser expulso na partida contra o Málaga, no dia 8 deste mês. Além da suspensão automática, já cumprida na vitória sobre a Real Sociedad, no último sábado, Neymar pegou outras duas partidas de gancho. Assim, se a TAD não mudar a decisão, ele está fora do clássico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.