Barcelona se diz 'indignado' com suspensão de Messi na seleção argentina

Em nota oficial, clube catalão afirmou que a punição é injusta e desproporcional

Estadao Conteudo

29 de março de 2017 | 10h22

O Barcelona saiu em defesa de Lionel Messi nesta quarta-feira, em resposta à suspensão de quatro jogos aplicada pela Fifa ao atacante argentino, na terça. O clube espanhol disse que a punição era "injusta" e afirmou estar "indignado" com a decisão da entidade máxima do futebol.

"O Barcelona expressa sua surpresa e indignação diante da decisão do Comitê Disciplinar da Fifa em suspender Leo Messi nas partidas da Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo", registrou o clube espanhol, em nota oficial. "O clube considera a suspensão de quatro jogos injusta e totalmente desproporcional."

Sem Messi, a seleção da Argentina foi derrotada pela Bolívia por 2 a 0, caindo para o quinto lugar das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Somente os quatro primeiros colocados entram direto no Mundial da Rússia. O quinto colocado terá que disputar repescagem.

Messi teve sua punição anunciada horas antes do início da partida disputada em La Paz. O atacante do Barcelona foi punido com quatro jogos de suspensão e multa de 10 mil francos suíços (cerca de R$ 31 mil) por ter ofendido o assistente brasileiro Emerson Carvalho no fim da partida com o Chile, em Buenos Aires, na quinta passada.

Imagens de televisão flagraram o camisa dez falando de forma agressiva com o integrante do trio de arbitragem brasileiro. O atleta agitou os braços e teria insultado o assistente. Entretanto, o incidente não havia sido relatado, inicialmente, na súmula da partida, pelo árbitro Sandro Meira Ricci.

A Argentina já avisou que vai recorrer da punição. Caso não obtenha sucesso no recurso, a seleção não terá o seu principal jogador também contra Uruguai, Venezuela e Peru, nesta ordem, nas Eliminatórias. O atacante só voltaria para disputar a última rodada, contra o Equador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.