Andrea Comas/Reuters
Andrea Comas/Reuters

Barcelona supera início conturbado e fatura o título espanhol

Com trio MSN afinado, Luis Enrique se sagra campeão após brigas

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

17 de maio de 2015 | 16h10

Com a vitória sobre o Atlético de Madrid fora de casa por 1 a 0, o Barcelona chegou ao seu 23º título espanhol da história. A campanha até o caneco registra 108 gols, 30 vitórias, três empates e quatro derrotas.

A temporada começou conturbada para os catalães, como a ausência de Luis Suárez nas oito primeiras partidas pela mordida em Chiellini na Copa do Mundo do Brasil. Após a estreia contra o Real Madrid, o uruguaio ainda levou sete jogos e cinco assistências até marcar seu primeiro gol.

O clássico contra os merengues marcou também a primeira derrota culé no campeonato, 3 a 1 no Santiago Bernabéu. Além da queda para o terceiro lugar, outros problemas começaram a atormentar o vestiário de Luis Enrique.


Em sua primeira temporada à frente do Barcelona, o técnico teve problemas de relacionamento com o maior astro da equipe de futebol mundial, Lionel Messi. Além do argentino, Luis Enrique teve de encarar as reclamações silenciosas de Neymar no banco de reservas cada vez que era substituído.

Passada a má fase, o trio sul-americano desandou em fazer gols. Com os tentos anotados neste domingo, são 22 de Neymar, 41 de Messi e 16 de Suárez. O brasileiro ainda não deu passe para gols nessa temporada, porém o argentino e o uruguaio já somam 32.

Rakitic chegou junto de Suárez e teve um caminho parecido com o do uruguaio, demorando para se adaptar ao time azul e grená. O volante subiu de produção e também se mostrou peça importante no elenco de Luis Enrique.

O aumento de produtividade do croata foi acontecendo ao mesmo tempo em que o protagonismo de Andrés Iniesta e, principalmente, Xavi foi se dissipando. O camisa oito foi titular em praticamente um turno do torneio, 18 jogos, e fez somente uma assistência. Já o número 6 Xavi distribuiu oito passes para gol em 29 partidas, sendo 18 delas entre os onze iniciais.

Aproveitando queda do Real por 1 a 0 para o Atlético de Madrid, os barcelonistas fizeram 6 a 1 no Rayo Vallecano e reassumiram de vez a liderança do campeonato. Desde então, a única derrota somando todas as competições foi na última terça-feira, para o Bayern de Munique, o que não impediu a classificação para a final da Liga dos Campeões.

Até a semifinal contra os bávaros, o ataque MSN já tinha 114 tentos e 46 assistências distribuídas. Excluindo estes três jogadores, Pedro é o artilheiro da equipe, com 10 gols, seis deles no campeonato nacional. O zagueiro Piqué vem na sequência com sete, sendo cinco na Liga Espanhola.

Nas 37 rodadas até aqui foram duas goleadas por 4 a 0, três por 5 a 0, três por 6 a 0 e uma por 8 a 0. Houve também um 8 a 1 sobre o Atlético Huesca, na primeira fase da Copa do Rei.

Time Lapse: FC Barcelona - Real Madrid por fcbarcelona

A conquista do Campeonato Espanhol pode ser apenas o primeiro de uma sequência de títulos. O troféu nacional já o credencia para a Supercopa da Espanha em 2015/16. No próximo dia 30 de maio, o Barcelona jogará contra o Athletic Bilbao pela final da Copa do Rei. Uma semana depois, viaja a Berlim para enfrentar a Juventus na decisão da Liga dos Campeões da Europa.

Se vencer os italianos no dia 6 de junho, estará credenciado para mais duas disputas, a Supercopa da Europa e também o Mundial de Clubes, no final do ano, no Japão.

Tal feito ocorreu sobre o comando de Pep Guardiola na temporada 2008/09. Na ocasião, o trio Thierry Henry, Samuel Eto'o e Lionel Messi fez 100 gols, maior marca da história do clube.

Raio-X

37 jogos

30 vitórias

3 empates

4 derrotas

108 gols feitos

19 gols sofridos

Artilharia

Messi - 41 gols

Melhor assistente:

Messi - 18 assistências

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.