Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Barcos diz que falou 'pelo grupo' ao reclamar de atrasos

Atacante desmente que sua crítica à diretoria do Grêmio ocorreu de forma individual

AE, Agência Estado

11 de janeiro de 2014 | 13h37

PORTO ALEGRE - O atacante Barcos usou sua entrevista coletiva deste sábado para desabafar. Criticado por parte da torcida por ter revelado que os jogadores estavam com salários atrasados no Grêmio em dezembro do ano passado, o argentino se defendeu. Ele explicou que apenas exerceu seu posto de capitão e líder da equipe, levando a público uma reclamação que era de todo o grupo.

"Vou falar só mais uma vez sobre isto. Muita coisa foi mal interpretada. Falaram muito mal de mim naquela ocasião, mas eu sou capitão, falo pelo grupo. Houve um atraso, sim, mas sempre disse que acreditávamos no clube. Hoje, já estamos arrumando tudo, quase não temos problemas, o clube cumpriu", declarou. Barcos reclamou do tom que a imprensa deu às declarações na época e disse que seguia cobrado pelos torcedores, mesmo mais de um mês após as declarações.

O atacante reforçou que a queixa não era particular, que ele não estava brigando com o clube, mas sim relatando uma insatisfação de seus colegas. "Se você olha as notícias, vai ver: ''Barcos se queixa do atraso de salário''. Ninguém disse que eu estava falando em nome do grupo. O que entende o torcedor é isso, que o Barcos está brigando com o clube, brigando por salário. Não estou me queixando do salário, é o grupo, falo pelo grupo. É só pegar os jornais que você vai ver", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioBarcos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.