Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Barcos e Moreno rendem milhões aos cofres do Palmeiras

Atacantes estão de partida do Grêmio para a China e Alviverde deve lucrar R$ 2,5 milhões por ter parte dos direitos econômico da dupla

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2015 | 07h02

Barcos e Marcelo Moreno, por motivos distintos, se tornaram "personas non-grata" no Palmeiras, mas podem fazer o clube receber R$ 2,5 milhões sem esforços. A dupla está de saída do Grêmio e como o Alviverde tem 15% dos direitos econômicos de ambos, vai lucrar com a negociação. O montante equivale à negociação dos dois atacantes.

Ambos estão de partida para o futebol chinês e cada um vai ser negociado por cerca de US$ 3 milhões (R$ 8,3 milhões). O Palmeiras ficou com 15% dos direitos de Barcos quando ele se transferiu para o Grêmio. O clube gaúcho deveria emprestar cinco jogadores para o rival paulista, além de pagar algumas dívidas que o time tinha com o jogador e com a LDU, seu antigo emprego.

Léo Gago, Leandro, Rondinelly e Vilson foram para o Palmeiras e o quinto jogador seria Marcelo Moreno, mas ele não aceitou a negociação. Seu pai, na época, disse que o filho não deveria se transferir para o clube. Assim, o Grêmio ofereceu repassar ao Palmeiras, 15% dos direitos do atacante boliviano, que se valorizou no Cruzeiro.

Os dois atletas tem contrato até dezembro e o clube gaúcho vê a negociação como a última possibilidade de lucrar algo com eles. Barcos teve altos e baixos no Grêmio, assim como Marcelo Moreno, que foi emprestado para o Cruzeiro e acabou o ano passado como um dos destaques do time bicampeão brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.