Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Barcos elogia Sassá, mas pede 'mais responsabilidade' ao companheiro

Atacante se envolveu em confusão no jogo com o Palmeiras e acertou um soco em Mayke

Estadão Conteúdo

27 de setembro de 2018 | 20h26

As cenas da confusão entre jogadores do Cruzeiro e do Palmeiras após o empate por 1 a 1 de quarta-feira, pela Copa do Brasil, repercutiram bastante nesta quinta. Do lado mineiro, Hernán Barcos, autor do gol que garantiu o time celeste na decisão do torneio, saiu em defesa de seu companheiro Sassá, mas não sem também lhe dar um "puxão de orelha".

"Sassá é um jogador importante, está voltando com força. É uma pessoa excelente e bom de grupo. Vamos perder muito sem ele. Mas é uma boa experiência em saber o que deve fazer. O grupo está com ele, mas ele tem que ter mais responsabilidade na hora das decisões", declarou o argentino.

Após o apito final, uma confusão generalizada começou entre os jogadores. No meio da confusão, Mayke e Sassá tentaram trocar socos e foram expulsos, mas quem levou a pior foi o palmeirense, que foi agredido no rosto pelo rival. Barcos explicou não ter visto as imagens do ocorrido, por ter visitado seu filho recém-nascido no hospital, mas garantiu que a briga foi provocada pelos palmeirenses.

"Eu, sinceramente, quando terminou o jogo, saí para comemorar, fui para o hospital ver meu filho. Não vi as imagens ainda. Sei que o Rafael estava tirando o Lucas Romero da confusão. Não era benefício brigar. Se alguém queria confusão, era o Palmeiras, que estava eliminado", afirmou.

Independente da confusão, o Cruzeiro garantiu vaga na decisão da Copa do Brasil contra o surpreendente Corinthians. E apesar de ter mais jogadores de renome, Barcos descartou qualquer favoritismo mineiro. "Favoritismo não existe em final, ainda mais contra um rival importante como o Corinthians. Eles têm o mesmo respeito que nós temos. Está 50% a 50%, aberto para os dois lados."

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Cruzeiro Esporte ClubeSassáfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.