Barcos marca dois gols e Palmeiras vence o Botafogo

Pressionado pela posição na zona de rebaixamento no Brasileirão, o técnico Felipão escalou pela primeira vez desde o início a dupla Obina e Barcos. E funcionou, pelo menos por parte de Barcos. O argentino sacramentou sua alcunha de carrasco do Botafogo e marcou dois gols nesta quarta-feira, no Engenhão, para garantir a vitória do Palmeiras sobre o Botafogo, 2 a 1. O resultado não tira a equipe de Luiz Felipe Scolari da zona da degola, mas traz um alívio para um elenco que só tinha vencido duas vezes neste Brasileirão.

MARCO JUSTO LOSSO, Agência Estado

09 de agosto de 2012 | 00h07

Com uma postura bem aberta, o Botafogo começou controlando as ações do duelo. Elkeson quase marcou aos 4 minutos de jogo depois de saída errada de Bruno do gol. O Palmeiras só chegou aos 9 minutos, quando Barcos rolou para Fernandinho cruzar e Patrik completar para fora, pressionado por Fellype Gabriel.

O Botafogo continuou criando mais chances de ataque. Mas o time que abriu o marcador, aos 14, foi o Palmeiras. Em saída rápida, Patrik abriu para Artur que cruzou na entrada da área. Obina não controlou, a bola sobrou para Barcos, que mostrou muita frieza para cortar o zagueiro Antonio Carlos e bater no canto, sem chance para Jefferson. Barcos, com este golaço, vira o carrasco do time carioca, já que também foi o autor dos dois gols na partida de ida da Copa Sul-Americana, na última quarta-feira, em Barueri.

Aos 16, o Palmeiras poderia ampliar o placar. Obina recebeu isolado na entrada da área, mas não soube concluir e chutou à esquerda de Jefferson.

Com a vantagem, o Palmeiras recebeu pressão violenta do Botafogo. E aí apareceu a estrela do goleiro Bruno. Aos 20, Elkeson deu um chapéu em Maurício Ramos e chutou para defesa fantástica de Bruno, que salvou os paulistas. Aos 24, em cabeçada também de Elkeson, Bruno fez outra defesa milagrosa, mantendo o placar inalterado.

O maior foco de ataque botafoguense era o lado direito da defesa paulista, com Artur tomando um baile do lateral-esquerdo do Botafogo, Márcio Azevedo. Felipão pedia desesperadamente que alguém ajudasse na marcação. Mas, aos 25, alívio para a defesa palmeirense. Em jogada isolada, Márcio Azevedo se contundiu na região lombar e teve de sair de campo para a entrada de Lima.

O Botafogo continuou pressionando e abriu espaços para o contra-ataque do Palmeiras. No fim do primeiro tempo, o time carioca quase empatou quando Andrezinho cruzou alto na área para Fabio Ferreira. O zagueiro dominou e chutou cruzado, à esquerda de Bruno.

Na volta para a etapa complementar, o Botafogo manteve sua postura ofensiva, mas abriu ainda mais espaços para o Palmeiras aproveitar o contra-ataque. No primeiro lance de perigo, Barcos quase ficou sozinho na entrada da área, mas Jefferson saiu para impedir que o atacante dominasse a bola. Mais uma vez, agora aos 7, o Palmeiras assustou com Fernandinho, que arriscou de longe e mandou a bola por cima do gol de Jefferson.

O Botafogo seguia tentando assumir as ações ofensivas do jogo, mas o meio-campo do Palmeiras, com Henrique, Marcos Assunção e Márcio Araújo travava a armação de jogadas dos cariocas. Só que, em mais uma falha de marcação, como tem ocorrido nos últimos jogos, Seedorf encontrou o lateral Lima livre nas costas de Artur, atrasado. O jogador cruzou para o meio da área, Maurício Ramos não chegou antes e Andrezinho completou para o gol, aos 12 da etapa final.

Com o empate, o Palmeiras voltou a buscar mais toque de bola no meio, com a entrada de Daniel Carvalho no lugar de Obina, que não funcionou muito bem ao lado de Barcos desde o início. Mas foi o Botafogo que assustou mais a confusa defesa palmeirense, que não trazia segurança para o goleiro Bruno.

Mesmo dominando as ações, o time da casa não encontrava uma chance mais clara para transformar em gol seu ritmo de jogo. E foi punido por isso. Em lance individual, aos 27, Fernandinho fez jogada de craque, meteu entre as pernas de Lennon e encontrou Barcos sozinho na pequena área. O carrasco do Botafogo só empurrou para as redes.

Aos 31, num erro crasso do bandeira, Barcos recebeu sozinho e poderia ampliar a vantagem. E mais um erro foi cometido contra o time paulista, depois de várias reclamações na CBF contra as arbitragens no Brasileiro. O atacante recebeu a bola em condição legal.

Sem se importar com os erros do trio de arbitragem, o Botafogo não parava de pressionar e, aos 34, Leandro Amaro salvou de cabeça um cruzamento perigoso de Lima, evitando novo empate. O técnico do time carioca, Osvaldo de Oliveira, tentou dar ainda mais poder de fogo à sua equipe, tirando o lateral Lennon e Fellype Gabriel para colocar os atacantes Rafael Marques e Vítor Júnior.

O Palmeiras, por sua vez, lutava muito para manter o placar. Desesperado, o Botafogo atacava de qualquer jeito, arriscando chutes de fora da área, que ora desviavam na zaga palmeirense, ora saíam longe, sem muita direção.

No fim do jogo, em toque preciso de Elkeson, Andrezinho chutou a bola forte para o gol de Bruno. A bola caprichosamente beliscou a trave e voltou para Seedorf cruzar sem direção para a área. Na jogada seguinte, o juiz apitou o final da partida. Estava sacramentada a primeira vitória do Palmeiras contra o Botafogo na história do Engenhão.

"Foi uma vitória fora de casa e isso deu moral para a equipe, temos de continuar a fazer o nosso melhor na sequência do Brasileiro", afirmou o zagueiro Maurício Ramos após a partida. "Excelente vitória contra o Botafogo. Mas a gente quer mais, vamos buscar a vitória contra o Fluminense no domingo", declarou o goleiro Bruno.

A estrela da noite mostrou confiança para o futuro ao fim da partida. "Não tive tanto espaço para fazer, mas consegui anotar os dois gols. Estamos jogando bem, espero que possamos repetir isso (a vitória) mais vezes", declarou ao final do duelo o carrasco do Botafogo, Hernán Barcos.

O Palmeiras, agora em 17.º lugar, enfrenta o Fluminense, no domingo, às 18h30, no Rio. O Botafogo encara a Portuguesa, no Canindé, também às 18h30, ambos os jogos pela 16.ª rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 X 2 PALMEIRAS

BOTAFOGO - Jefferson; Lennon (Rafael Marques), Antonio Carlos, Fabio Ferreira e Márcio Azevedo (Lima); Jadson, Renato, Fellype Gabriel (Vítor Júnior), Andrezinho e Seedorf; Elkeson. Técnico: Osvaldo de Oliveira.

PALMEIRAS - Bruno; Artur, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Marcos Assunção, Patrik (Betinho) e Fernandinho; Obina (Daniel Carvalho) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GOLS - Barcos, aos 14 minutos do primeiro tempo; Andrezinho, aos 13, e Barcos, aos 27 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO - Leandro Amaro (Palmeiras).

ÁRBITRO - Francisco Carlos Nascimento (Fifa/AL).

RENDA: R$ 102.755,00.

PÚBLICO: 3.550 pagantes.

LOCAL - Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoBotafogoPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.