Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Barcos pede Palmeiras forte para não passar vergonha na Libertadores

Argentino repete o discurso do técnico Gilson Kleina, que pede boas contratações para equipe

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

28 de novembro de 2012 | 08h31

SÃO PAULO - Mesmo sem saber se vai permanecer no Palmeiras em 2013, Barcos pede à diretoria um time forte para não passar vergonha na Copa Libertadores. E, caso veja que o clube está com dificuldades para contratar algum jogador de peso, o argentino pode apressar a sua saída de São Paulo.

Apesar de dizer que defender a seleção argentina na Copa do Mundo é o seu grande objetivo - e jogar a Série B do Brasileiro o prejudicaria no seu sonho -, o atacante afirma também que não gostaria de deixar o Palmeiras. Por isso a dificuldade em definir seu futuro. "Tenho de por na balança o que é positivo e negativo."

Independentemente de sua decisão, Barcos repete o discurso do técnico Gilson Kleina, que pede boas contratações para 2013. "Ele tem razão. Para jogar o Paulista dá para colocar a garotada, mas para a Libertadores temo de ter jogadores experientes", afirmou. "Não podemos fazer como na Sul-Americana, na Colômbia, em que passamos vergonha", disse, lembrando da derrota para o Millonarios por 3 a 0, em 23 de outubro. "O ideal é entrar num nível competitivo."

Barcos disse ainda que sua decisão se permanece ou não pelo Palmeiras pode passar pela formação da equipe em 2013. "Tenho que ver também o que o time vai fazer no ano que vem. Se vai só participar ou brigar (pelo título) na Libertadores."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.