Masão Goto Filho/Estadão
Masão Goto Filho/Estadão

Após ser barrada na arena por 'querer ficar mais bonita para o Palmeiras', Duda ganha prêmio

Torcedora deve entrar com jogadores na partida contra a Chapecoense

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

24 de novembro de 2016 | 07h00

Maria Eduarda tem apenas sete anos e pediu para seu pai pintar seu rosto de verde por um simples motivo: "Eu queria ficar mais bonita para o Palmeiras", disse a garota. Mas o ato infantil foi encarado como uma ameaça pela polícia e se tornou uma grande polêmica, que pode acabar com um final feliz. A pequena palmeirense deve entrar em campo com os atletas palmeirenses na partida contra a Chapecoense, domingo, no Allianz Parque.

 

A polêmica começou quando Maria Eduarda, a Duda, foi para o estádio com seu pai, Edgar Nepomuceno. Ao chegar na entrada das arquibancadas da Superior Norte, uma policial barrou a entrada da menina, pois ela estava com o rosto todo pintado de verde e, em razão de segurança, é proibido que qualquer pessoa entre na arena com o rosto coberto.

 

"Minha filha saiu chorando, sem entender o que fez de errado. Ela que teve a ideia de pintar o rostinho e depois ela me perguntou o motivo de ter que tirar a tinta. Eu fiquei tão chocado, que não sabia o que responder", disse Nepomuceno, que contou com a ajuda de outros palmeirenses para lavar o rosto da filha e, como tinha muita tinta, ela acabou entrando com o rosto borrado e teve que ouvir brincadeira dos policiais.

"Um policial que foi me revistar, brincou com a PM que tinha impedido a entrada da Maria Eduarda e falou pra ela: 'olha, ela está brava com você'. A policial respondeu que só estava cumprindo a lei", disse o torcedor. "Tudo bem, era a lei, mas faltou bom senso. É uma menina de sete anos. O que ela poderia fazer de errado no estádio? Foi uma situação humilhante", opinou.

 

Fã de Dudu, Maria Eduarda entrou na arena emburrada e só se soltou quando começou o jogo. Para domingo, a ideia é ir com a pintura de três faixas no rosto, algo permitido. E o sonho da garoto, claro, é entrar em campo com seu ídolo. "Vai ser 3 a 0 para o Palmeiras, com dois gols do Dudu. E eu gosto do Gabriel Jesus também", avisou a garota, que já foi diversas vezes em estádios com o pai.

 

Além da idolatria por Dudu, Maria Eduarda também é fã de um ex-jogador do Palmeiras. "Fomos em um jogo no Pacaembu, ela viu o goleiro Bruno e começou a chorar, pois queria conhecê-lo. Infelizmente, isso nunca aconteceu", contou o pai, que gosta de filmar a filha cantando músicas do Palmeiras.

 

A PM, após toda a polêmica admitiu que tenha faltado bom senso, mas reafirmou que é proibido a entrada de torcedores nos estádios com o rosto pintado. "A avaliação do Comando da PM é que faltou bom senso ao policial que impediu a entrada de uma criança, que risco nenhum poderia oferecer à segurança do evento. Estão sendo adotados procedimentos para que situações semelhantes não mais ocorram. A Polícia Militar pede desculpas pelo ocorrido", diz o comunicado divulgado pela polícia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.