François Lenoir/Reuters
François Lenoir/Reuters

Barrados no baile: Fan Fest de Moscou ficou pequena nos jogos da Rússia

Lotação do espaço oficial da Fifa fez a prefeitura pedir que moradores não compareçam ao local durante o confronto contra o Uruguai

Gonçalo Junior, enviado especial a Moscou, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2018 | 05h00

A advogada Yelena Karapova não conseguiu entrar na Fan Fest de Moscou para assistir, pelo telão, à vitória da Rússia sobre o Egito por 3 a 1, disputada em São Petersburgo. A partida definiu a classificação do país às oitavas de final, feito inédito desde a dissolução da União Soviética, em 1991. Frustrada, ela decidiu assistir ao confronto em casa. “Perdi parte do jogo no caminho, mas pelo menos fizemos um bom papel e conseguimos a classificação”, comentou a torcedora. 

+ Russos festejam a Copa do Mundo em praças e restaurantes

+ Depois de três Copas, o vermelho volta a ficar em alta na Rússia

+ Trem-bala russo vira atração turística na Copa do Mundo

Para evitar que novos casos como o de Yelena se repitam na partida desta segunda-feira, 25, diante do Uruguai, no jogo que define o campeão do Grupo A, em Samara, a prefeitura de Moscou pede que os torcedores não compareçam à Fan Fest para assistir ao confronto. O motivo é o temor de superlotação no espaço oficial da Fifa para transmissão dos jogos na Copa. A Fan Fest de Moscou ficou pequena para o entusiasmo dos russos. O local tem capacidade para apenas 25 mil pessoas, mas são esperadas cerca de 40 mil. 

“Os torcedores são convidados a não escolher apenas Sparrow Hills (local da Fan Fest). É possível assistir às partidas em telões adicionais que foram instalados na cidade. Eles também estão em muitos hotéis, cafés e restaurantes”, informa o comunicado divulgado no site da prefeitura da cidade. 

Descrentes e ressabiados com a fase de preparação da equipe antes da Copa, os russos temiam que sua seleção não passasse da primeira fase. Pessimismo. O entusiasmo começou com a chegada das torcidas de outros países para o início da competição. Todos se concentravam na Praça Vermelha. Depois que o time venceu a Arábia Saudita por 5 a 0 na abertura da Copa, os russos começaram a tomar as ruas, empunhar bandeiras e cantar o hino nas arquibancadas. Com a classificação antecipada às oitavas de final, confirmada no último jogo, os russos aproveitam todos os locais para apoiar o time. As autoridades não esperavam tanta empolgação. 

 

A Copa da Rússia tem 11 endereços oficiais da Fan Fest, um em cada cidade-sede. A festa na capital é a única que vem registrando superlotação. 

Já no primeiro jogo, o Estado teve muitas dificuldades para chegar ao local. Locutores do metrô informavam sobre a lotação da Fan Fest e que o acesso não seria permitido. O jogo estava no início. Por outro lado, sobrava espaço para acompanhar ao confronto entre Brasil e Costa Rica, na última quinta-feira. “Os russos estão muito felizes com a seleção e querem mostrar isso de alguma forma. O local certo é a Fan Fest, mas deveria caber todo mundo”, comentou o agente bancário Alexei Nurov. 

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Os russos estão muito felizes com a seleção e querem mostrar isso.
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Alexei Nurov, agente bancário

A prefeitura avisou que a entrada para a Fan Fest deve ser limitada no caso de “partidas mais populares, que vão definir classificação no torneio”.

Os torcedores reclamam que uma cidade de 12 milhões de habitantes não poderia ter espaços tão restritos para os jogos. “Os últimos dias em Moscou foram uma celebração esportiva sem precedentes: a cidade não via um fluxo tão grande de torcedores de futebol há décadas”, diz outro trecho do comunicado oficial. 

Nikolai Gulyaev, chefe do departamento de Esporte e Turismo de Moscou, disse que os torcedores na capital russa teriam mais sorte assistindo ao jogo em um bar de sua região. “Nesse caso, você não terá de pensar em chegar duas ou três horas antes da partida”, disse Gulyave. “Não haverá filas para bebidas e comidas, e a atmosfera de união e intensa paixão pelo futebol é tão boa quanto nas Fan Fests ao ar livre”, recomendou o político. 

A postura do poder municipal de Moscou contraria a orientação da Fifa de transformar a Fan Fest em um local de grande concentração de torcedores animados. Os locais foram concebidos como alternativa aos estádios em energia e concentração de torcida. Procurada pelo Estado, a Fifa não quis comentar as recomendações da prefeitura de Moscou. 

POLÊMICA

O local escolhido para a Fan Fest, nas proximidades do câmpus da Universidade Estatal de Moscou, gera polêmica desde sua construção. Entre abril e maio, estudantes protestaram contra a perda de moradias causada pela cessão do terreno. Três estudantes de Linguística chegaram a ser detidos. O caso mais grave foi do aluno Dimitri Petelina, responsável por pichação em um dos banners oficiais da Copa.

Ele ficou detido por um dia por ter escrito “No to the Fan Fest” (Não à Fan Fest) em um dos banners. Só foi liberado após assinar algo como um termo circunstanciado.

Os estudantes também reclamaram dos danos ambientais causados pela obra, em um local que era dedicado aos cursos de Ciências Naturais. Por fim, o movimento aponta indícios de superfaturamento. O orçamento inicial da Fan Fest foi de 100 milhões de rublos (R$ 6 milhões), mas a obra chegou a 2,4 bilhões de rublos (R$ 150 milhões). O Comitê Organizador não se pronunciou.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.