Barreto redescobre caminho da Índia

Há dois anos, o atacante José Barreto estava esquecido no interior paulista. Com uma contusão no tornozelo direito, não conseguiu se destacar no modesto Paraguaçuense, e o Natal de 1999 não prometia ser tão gordo quanto havia planejado o jogador gaúcho, então com 22 anos.Faltando poucos dias para o final do ano, Barreto recebeu uma proposta que mudou o rumo de sua vida. Sem a família, aceitou o desafio de jogar no futebol da Índia. Assinou contrato por três meses com o Mohun Bagan, um dos maiores times da populosa Calcutá, para disputar a liga nacional local, que equivale ao campeonato nacional. A aposta deu certo.Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

26 de junho de 2001 | 08h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.