Divulgação
Divulgação

Barrios despista sobre Colo Colo e diz que fica no Palmeiras em 2016

Atacante ressalta interesse em jogar a Libertadores do ano que vem

O Estado de S. Paulo

14 de dezembro de 2015 | 07h00

Especulado para voltar ao Colo Colo, do Chile, o atacante palmeirense Lucas Barrios afirmou neste domingo que quer continuar no clube paulista para a temporada de 2016, principalmente pela oportunidade de voltar a disputar a Copa Libertadores.

O jogador paraguaio escreveu em uma rede social que respeita o time chileno, onde é ídolo, porém o retorno está descartado pelo menos para o ano que vem. "Estou no Palmeiras e feliz, contente pelo campeonato que conquistamos (a Copa do Brasil) e penso em ficar para disputar a Libertadores em 2016", disse o atacante, argentino de nascimento, mas naturalizado paraguaio.

A vontade da contratação do Colo Colo partiu por parte da torcida. Entre 2007 e 2009 ele defendeu o clube e depois de sair rumo ao futebol europeu, voltou a alimentar a esperança dos chilenos principalmente após ter retornado ao futebol da América do Sul. "Quero deixar claro para toda a torcida do Colo-Colo que sempre sonha com a minha volta que agora não poderá acontecer. A última vez fui eu quem quis voltar ao clube do qual sou quase que um torcedor, mas decidiram por outro jogador", comentou.

Uma das estrelas do atual grupo do Palmeiras, Barrios é um dos nove atacantes hoje do elenco alviverde, ao lado de Alecsandro, Cristaldo, Dudu, Gabriel Jesus, Kelvin, Luan, Mouche e Rafael Marques. Com 31 anos de idade, ele acumula oito gols em 21 jogos disputados com a camisa palmeirense.

Com larga experiência no futebol internacional e um dos principais nomes da seleção paraguaia na atualidade, Barrios é tido como um trunfo do Palmeiras para a Libertadores e tem contrato com o clube até a metade de 2018.

Depois de ter se tornado ídolo no Colo-Colo, que ele defendeu entre 2007 e 2009, Barrios passou por Borussia Dortmund (2009a 2012), Guangzhou Evergrande (2012 a 2013), Spartak Moscou (2013) e Montpellier (2014 e 2015) antes de se transferir para o Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.