Vitor Silva/Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Barroca diz respeitar decisão de Honda em deixar o Botafogo: 'Motivos pessoais'

Técnico lamenta despedida do meia japonês e afirma que clube pouco pode fazer para reverter essa escolha

Redação, Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2020 | 13h01

O anúncio oficial ainda não foi feito pela direção do Botafogo ou pelo jogador, mas o meia japonês Keisuke Honda, que pediu para antecipar o término de seu contrato, não jogará mais pelo time. Tanto que o técnico Eduardo Barroca não conta mais com o atleta em seu elenco e disse que respeita a sua decisão de deixar o clube carioca.

"Foi uma decisão do Honda. Depois do jogo contra o Corinthians (no último domingo), o Tulio (Lustosa, gerente de futebol) comunicou que tinha uma cláusula no contrato que permitia a rescisão. Não teve nada que pudéssemos fazer para reverter a situação. Não posso falar disso de maneira alguma. Ainda não tive oportunidade de conversar com o Honda. Os motivos foram pessoais, ele teve uma lesão que o tiraria entre 30, 35 dias. Tem três filhos pequenos e o cenário futuro profissional", afirmou Barroca em entrevista à rádio Globo.

"Não foi algo que pudéssemos fazer o contraditório para reverter a situação. Temos muito jogadores jovens, que não têm a vivência prática da Série A, e quando perdemos um jogador que possa nos dar essa experiência, ainda mais sem a possibilidade de repor, não é o ideal", prosseguiu o treinador, destacando a necessidade do time de contar com jogadores experientes no elenco.

"Todos nós estamos lutando contra um cenário adverso (rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro) e respeitamos a decisão pessoal, a forma como foi feita, respeitosa, frontal. Precisamos de profissionais que queiram enfrentar esse cenário de maneira integral. Falo para os jogadores que não é momento para estar 100% aqui, mas sim 110%. Tudo foi feito de forma clara e respeitosa", completou.

A expectativa é que a diretoria do Botafogo anuncie a rescisão do jogador ainda nesta semana. Honda já tem em mãos uma proposta para retornar à Europa e defender o Portimonense, de Portugal. O presidente do clube europeu já revelou que faltam detalhes para o acerto.

"Eu conheço muito bem o jogador. É um jogador muito valioso, apesar da idade. Todas as equipas gostariam de o ter. Faltam alguns detalhes, mas queremos resolver o mais rápido possível", disse Rodiney Sampaio, em entrevista à TV portuguesa TSF.

Ao todo, foram 27 jogos e apenas três gols de Honda com a camisa do Botafogo, que está em 19.º e penúltimo lugar na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com apenas 23 pontos após 27 rodadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.