Barueri vence Lusa com pênalti polêmico e segue na briga

Time faz 3 a 2 no Estádio do Canindé e termina o sábado entre os quatro primeiros do Campeonato Paulista

Agência Estado,

29 de março de 2008 | 23h10

O Barueri se manteve na briga por uma vaga nas semifinais o Campeonato Paulista ao vencer a Portuguesa, por 3 a 2, neste sábado à noite, no Canindé, pela 18.ª rodada. O resultado foi definido somente nos acréscimos com dois pênaltis inexistentes, uma para cada time, marcados pelo árbitro Paulo Roberto de Souza Júnior. Veja também: Classificação Calendário / Resultados A vitória deixou o time da grande São Paulo em quarto lugar, com 32 pontos, igual ao São Paulo, mas com uma vitória a mais: 10 a 9. E vai decidir seu futuro, em casa, contra o já classificado Palmeiras. A Lusa continua com 25 pontos, em 11.º lugar.  O jogo teve várias alternativas. A Portuguesa saiu na frente com uma cabeçada do zagueiro Bruno Rodrigo, aos 16 minutos do primeiro tempo. O Barueri reagiu na etapa final, empatando com Flávio, aos sete minutos, com um chute de fora da área.Portuguesa2Gottardi; Patrício    , Bruno Rodrigo, Marco Aurélio e Bruno Recife; Erick    , Dias     (Zé Maria), Rai e Claudecir     (Miltinho); Rogério (Vaguinho) e ChristianTécnico: Vágner BenazziBarueri3Renê; Marcos Pimentel, Duílio    , Diego e Márcio Careca; Max Carrasco, Rodrigo Pontes, Flávio (Fernando) e Júlio César (Guaru); Thiago Humberto e André Neles (Alberto)Técnico: Márcio AraújoGols: Bruno Rodrigo, aos 16 minutos do primeiro tempo; Flávio, aos 7 e Alberto aos 33 e Zé Maria, aos 47 e Thiago Humberto, aos 50 minutos do segundo tempoÁrbitro: Paulo Roberto de Souza JúniorPúblico: 833 pagantesEstádio: Canindé, em São Paulo-SPDepois virou o placar com Alberto, pegando um rebote do goleiro Gottardi, que não segurou o chute de Guaru. Aos 43 minutos começou a série de lances polêmicos. Christian "cavou" um pênalti, se atirando na frente do zagueiro Duílio. Na cobrança do pênalti inexistente, o próprio Christian perdeu duas vezes, ambas defendidas pelo goleiro Renê. Aí entrou em cena outra personagem: o auxiliar Marcos Joel Alves, que anotou o avanço do goleiro. Sob muitos protestos dos jogadores do Barueri, Zé Maria substituiu a Christian na penalidade máxima e a converteu, aos 47 minutos, com um chute forte e no alto. O mais inacreditável aconteceu em seguida. Num lance na área da Portuguesa, Thiago Humberto se atirou ao ser perseguido por Patrício e o árbitro anotou o pênalti. Na cobrança, aos 50 minutos, Thiago Humberto converteu: 3 a 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.