Basler critica treinador da Alemanha

Mario Basler é um dos mais talentosos jogadores alemães em ação. Mas também um dos mais polêmicos. O atacante do Kaiserslautern - equipe que divide a liderança do campeonato nacional com o Bayer Leverkusen - não poupou críticas a Rudi Voeller, treinador da seleção do país. Na avaliação do craque de 32 anos, o antigo centroavante da Roma não tem "estatura" para comandar um time que busca reabilitar seu prestígio internacional. "Ele não está à altura do cargo", afirmou Basler, que duas temporadas atrás foi obrigado a deixar o Bayern de Munique no meio da competição por desentender-se com o técnico Ottmar Hitzfeld. "Não tem competência para recolocar a Alemanha no rumo certo." Voeller assumiu a seleção, logo após o fiasco na Eurocopa-2000, em caráter de emergência. A estratégia da Federação era a de que ele seguraria lugar para Christoph Daum, então técnico do Bayer Leverkusen e que iria para a equipe nacional a partir de julho deste ano. Voeller só continuou porque Daum caiu em desgraça, ao dar positivo o resultado do exame antidoping a que ele se submeteu, no final do ano passado, por suspeita de uso de cocaína. Essas particularidades não interessam a Basler, há mais de dois anos fora de convocações. Em sua avaliação, há uma "grande injustiça" com o afastamento de Stefan Effenberg, seu ex-companheiro de Bayern. "A seleção precisa de líderes como ele", argumentou. "Alguém que tenha visão de jogo e saiba comandar os mais jovens", sustentou. "O problema está no fato de que as lideranças são reprimidas. Basta alguém fazer críticas, para ficar fora." Apesar das críticas de Basler, a Alemanha vai bem nas Eliminatórias européias para a Copa de 2002. A equipe lidera o Grupo 9 com nove pontos em três partidas. Contra 4 pontos de Inglaterra e Finlândia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.