Bastia diz condenar agressão, mas evita punir Brandão

Em comunicado, clube diz que irá esperar pela decisão das autoridades esportivas francesas e pode tomar medidas posteriores

Estadão Conteúdo

18 de agosto de 2014 | 12h29

O Bastia decidiu não punir, pelo menos até o momento, o atacante Brandão pela cabeçada que o jogador deu no volante Thiago Motta após o fim da partida diante do Paris Saint-Germain, no último sábado, nos vestiários do Estádio Parc des Princes, pelo Campeonato Francês. A agressão deixou o atleta brasileiro naturalizado italiano com o nariz sangrando e gerou uma grande confusão após o duelo que terminou em 2 a 0 para a equipe da capital francesa.

Por meio de um comunicado publicado nesta segunda-feira, o Bastia informou que irá esperar a decisão das autoridades esportivas francesas relativas a Brandão, "reservando-se ao direito de tomar medidas posteriores" em relação ao atleta.

O clube, porém, disse que "condena sem ambiguidade alguma a ação de seu atacante". Ao mesmo tempo, entretanto, afirmou que "lamenta o comportamento igualmente inaceitável de alguns jogadores que não deixam de insultar e provocar seus rivais", se referindo ao fato de que Thiago Motta supostamente teria agido de forma errada ao provocar e xingar Brandão durante o duelo.

Após o jogo do último sábado, o presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, pediu por uma suspensão vitalícia ao atacante, que com a cabeçada dada em Thiago Motta fraturou o nariz do seu adversário, este convocado para defender a Itália na última Copa do Mundo. Para o dirigente, o atleta do Bastia deve ser banido do esporte.

Para completar, o PSG confirmou no último domingo que o atacante foi responsável também por uma fratura sofrida pelo lateral Gregory van der Wiel durante o primeiro tempo do jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Francês. Segundo o clube, o jogador fraturou a segunda vértebra lombar ao levar uma joelhada nas costas, em fato semelhante ao que aconteceu com Neymar durante a Copa do Mundo. O jogador da seleção brasileira fraturou a terceira vértebra ao ser atingido pelo colombiano Zuñiga em duelo nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.