Bastian Schweinsteiger: motor e cérebro do Bayern de Munique

O alemão se transformou numa referência de volante que sabe marcar e tratar bem a bola

Luís Augusto Monaco, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Bastian Schweinsteiger chegou à escolinha do Bayern de Munique aos 14 anos, estreou no time principal aos 18 e vestiu a camisa da seleção aos 20, mas foi só depois que fez 25, em 2009, que começou a ganhar fama de craque. E hoje, aos 28, é considerado um dos melhores do mundo em sua posição.

O homem responsável pelo salto de qualidade em sua carreira chama-se Louis Van Gaal. O técnico holandês - que fez notáveis trabalhos no Ajax, no Barcelona e na seleção de seu país - o inventou como volante quando chegou ao clube alemão. E a partir dali Schweinsteiger se transformou num outro jogador.

Antes de Van Gaal, ele fazia a função que hoje cabe a Robben e Ribéry. Apesar de ser corpulento (1,83 m e 80 quilos), jogava aberto pela direita ou pela esquerda e vivia de driblar marcadores e cruzar a bola para o centroavante. Fazia isso bem, tanto que aos 22 anos já tinha 41 partidas (hoje tem 98) disputadas pela seleção, número que ninguém havia conseguido com essa idade, mas não era completamente feliz porque se sentia limitado jogando perto da linha lateral.

Quando foi colocado como volante e passou a jogar pelo meio, Schweinsteiger não só começou a mostrar qualidades que ainda não havia exibido em sua plenitude (visão de jogo, capacidade para desarmar e precisão nos passes) como também ganhou confiança para virar protagonista e se tornar um líder.

A sua transformação pode ser comparada à de outros dois grandes jogadores que viraram referência quando passaram a jogar mais recuados e a ter a missão de comandar o time: Rincón e Pirlo. O colombiano era um meia ofensivo de alto nível, com habilidade para driblar e fazer gols, até ser convertido em um volante de fino trato por Vanderlei Luxemburgo no Corinthians de 1998. O italiano também começou como meia, mas não conseguiu sucesso nessa posição. Em 2001, quando chegou ao Milan, ouviu do técnico Carlo Ancelotti a sugestão para jogar mais atrás e organizar a saída de bola. Ele topou, e não demorou para ser aclamado como craque.

Schweinsteiger sempre foi uma aposta do Bayern, desde que desistiu de seguir a carreira de esquiador - para a qual levava jeito, de acordo com seu amigo Felix Neureuther, um dos destaques da Alemanha na modalidade. "Na minha infância, eu morava no pé dos Alpes e sonhava em ser esquiador ou jogador de futebol. Quando recebi o convite para treinar no Bayern decidi rapidamente abandonar a ideia de fazer carreira no esqui. Eu passaria menos frio e teria de carregar menos equipamento", disse numa entrevista durante a Eurocopa do ano passado.

Ele era um garoto rebelde, de temperamento forte e que gostava de aprontar. Quando ainda estava no time juvenil, foi flagrado com uma mulher dentro de uma jacuzzi que ficava no vestiário da equipe principal no Centro de Treinamento. E saiu-se com a seguinte desculpa: "É a minha prima. Ela queria conhecer o local onde treino." Anos mais tarde, foi multado por ter passado a noite numa discoteca de Munique dois dias antes de uma partida pelo Campeonato Alemão. Mais uma vez, não perdeu o rebolado: "A multa foi justa, mas a diversão compensou."

As histórias sobre as estripulias de Schweinsteiger chegavam com frequência aos ouvidos do presidente Franz Beckenbauer, mas ele não ligava. Com seu olho clínico e a sabedoria de quem é o maior craque da história da Alemanha, não tinha dúvida de que estava diante de um jogador de futuro. "Até que enfim estamos revelando um garoto que vale a pena", dizia.

A admiração de Beckenbauer por Schweinsteiger não parou de crescer, e durante o Mundial de 2010, depois do jogo em que a Alemanha esmagou a Argentina nas quartas de final por 4 a 0, o "Kaiser" disse que ele era o melhor jogador da competição. Nessa Copa o técnico Joachim Löw desfrutou de Schweinsteiger na posição em que Van Gaal o havia colocado no Bayern. E também de um jogador bem mais ajuizado. Dois anos antes, depois de ser expulso no jogo contra a Croácia pela Eurocopa, ele havia levado um pito de ninguém menos do que a chanceler Angela Merkel. "Ela me disse que estava na hora de parar de fazer bobagens. E quando a chanceler fala é precisou ouvir e obedecer."

VERSATILIDADE

Löw não se cansa de elogiar o jogador que considera o cérebro da seleção, e diz que a influência de Schweinsteiger na equipe é cada vez maior. E no Bayern ele é chamado de "motor do time". Cérebro e motor, técnica e força, inteligência e dedicação, ataque e defesa. A versatilidade de Schweinsteiger faz dele o jogador dos sonhos de todo técnico de bom gosto. E seu carisma, que veio à tona depois que se tornou uma peça-chave tanto no Bayern como na seleção, o transformou num dos jogadores mais populares da Alemanha - o que não passou em branco para o mercado publicitário. Ele é a estrela de vários comerciais, e o mais famoso deles é um no qual imita uma galinha.

Seus ganhos anuais com contratos de publicidade chegaram a 4 milhões (R$ 10,5 milhões) em 2012. Somando esse valor aos 10 milhões (R$ 26,3 milhões) que recebe do Bayern por temporada, ele ficou na 12ªposição na lista dos jogadores que mais faturaram ano passado. Seu vínculo com o clube alemão vai até junho de 2016.

O adolescente rebelde que sonhou em ser esquiador e depois se transformou num ponta de respeito é hoje um modelo de volante e um homem rico. Para coroar sua carreira faltam dois títulos que ele persegue com obstinação: campeão mundial pela Alemanha e da Copa dos Campeões pelo Bayern.Um ele tentará ganhar ano que vem no Brasil, e o outro pode estar em suas mãos dia 25, quando seu time enfrentará o Borussia Dortmund na final em Wembley.

NÚMEROS

15 títulos tem Schweinsteiger com a camisa do Bayern: seis do Campeonato Alemão, cinco da Copa da Alemanha, dois da Copa da Liga e dois da Supercopa da Alemanha.

98 partidas ele disputou pela seleção. Sua estreia foi em 2004, num jogo contra a Hungria. Esteve em três Eurocopas (2004, 2008 e 2012) e dois Mundiais (2006 e 2010).

26,3 milhões de reais é o seu salário anual. É o jogador mais bem pago do elenco.

14 anos faz que ele chegou ao Bayern de Munique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.