Basualdo: falsos amigos feriram Maradona

José Basualdo apontou falsos amigos como responsáveis pela decadência de Maradona, seu companheiro nas Copas de 90 e de 94. O ex-zagueiro e hoje treinador do Deportivo Quito, do Equador, lamentou o estado de saúde do astro argentino e disse que ?pessoas ruins? o cercaram e o levaram à ruína. ?Nós, os amigos de Maradona, não tivemos papel importante como seria o correto?, disse Basualdo, em entrevista à rádio Sonorama, de Quito. ?Ele nunca permitiu que as pessoas que gostam dele intervenham. Na verdade, permitiu a aproximação de outro tipo de gente, que esteve a seu lado para machucá-lo.? Basualdo admitiu que Maradona sempre esteve em ?mundo muito grande? e que o cerco dos interesseiros impediu que ouvisse conselhos. ?Não nos restou outra opção senão a de apoiá-lo em conversas ocasionais?, relembrou. ?Havia gente ruim perto dele e que queria vê-lo mal. Estas são as conseqüências.? A solidariedade partiu também de Néstor Kirchner. O presidente da Argentina se mostrou preocupado com a recuperação do craque. ?Como argentino, isso me dá muita tristeza?, declarou. ?Mas precisamos estar ao lado dele e fortalecê-lo. É uma grande pessoa.? Outra manifestação de carinho veio da Espanha. Pablo Aimar, meia do Valencia, foi extravagante, ao definir o respeito por Maradona. ?Para mim, ele é pouco menos do que Deus?, disse, em entrevista ao jornal esportivo Marca. Aimar não é o único que pensa assim. Há alguns anos, fiéis a Maradona fundaram, em Buenos Aires, a Igreja Maradoniana, em que o astro é o centro de venerações. Pode ser coisa de maluco, mas a seita tem centenas de seguidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.