Batido pelo Brasil em 94, Camarões foi trauma olímpico

Adversária do Brasil na rodada final do Grupo A da Copa do Mundo, a seleção de Camarões já esteve na rota da equipe num duelo que definiu a passagem para as oitavas de final do torneio. Foi em 1994, com a vitória por 3 a 0, com gols de Romário, Márcio Santos e Bebeto, nos Estados Unidos, que o time dirigido pelo hoje coordenador técnico Carlos Alberto Parreira avançou no Mundial.

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

23 de junho de 2014 | 10h44

A seleção ainda teria um outro compromisso naquela fase de grupo, contra a Suécia, mas a vaga nas oitavas de final já estava assegurada. Dessa vez, portanto, a situação é menos confortável, pois a derrota pode provocar a eliminação precoce da Copa, caso o México não vença a Croácia no outro jogo da rodada final do Grupo A.

Um empate nesta segunda-feira, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, é suficiente para garantir o Brasil nas oitavas de final da Copa, mas esse resultado nunca aconteceu nos confrontos com Camarões. Além do triunfo no Mundial de 1994, a seleção superou os africanos por 2 a 0 em amistoso disputado em 1996, com gols de Giovanni e Djalminha, repetindo o placar na Copa das Confederações de 2001, com gols de Washington e Carlos Miguel.

Dois anos depois, também na Copa das Confederações, os camaroneses se vingaram com o triunfo por 1 a 0, com gol de Samuel Eto''o, em jogo relembrado pelo goleiro Julio Cesar. "É um time fisicamente forte, numa Copa das Confederações ganhou do Brasil com gol do Eto''o, eu lembro porque estava no banco", disse.

A mais dolorosa derrota do Brasil para Camarões, porém, não foi com a equipe principal, mas com a seleção olímpica, batida na prorrogação, por 2 a 1, nos Jogos de Sydney, em 2000. Oito anos depois, nos Jogos de Pequim, em 2008, a resposta veio com a vitória por 2 a 0, definida também na prorrogação.

O lateral-esquerdo Marcelo, que marcou um dos gols, estava em campo, assim como o volantes Ramires, o meia Hernanes e o atacante Jô, enquanto o zagueiro Thiago Silva ficou no banco de reservas. Esses são alguns dos nomes que tentarão manter o Brasil vivo na Copa em mais um confronto com Camarões nesta segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolBrasilCamarões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.