Thilo Schmuelgen/Reuters
Thilo Schmuelgen/Reuters

Batshuayi critica Uefa após absolver Atalanta de acusação de racismo

Atacante questionou decisão da entidade de rejeitar sua queixa contra torcedores da Atalanta que o insultaram

Estadão Conteúdo

29 de março de 2018 | 16h58

O atacante Michy Batshuayi, do Borussia Dortmund, questionou nesta quinta-feira se a Uefa realmente está preocupada em combater e punir os casos de racismo no esporte após o órgão regulador do futebol europeu rejeitar sua queixa de que torcedores da Atalanta o insultaram durante um jogo válido pela Liga Europa e realizado na Itália. "Deve ser minha imaginação", escreveu Batshuayi no seu perfil no Twitter, após a divulgação do veredicto da Uefa.

Após desfalcar Argentina em 2 jogos, Messi treina no Barça e deve pegar o Sevilla

O atacante da seleção belga, que está emprestado pelo Chelsea ao Dortmund, já havia se manifestado na rede social logo após a disputa do jogo em fevereiro: "2018 e ainda barulhos racistas de macaco nas arquibancadas... Sério?", escreveu naquela época.

A Uefa não explicou as suas razões para não punir a Atalanta, anunciando apenas que decidiu "encerrar o processo disciplinar aberto por razões racistas ou comportamento discriminatório".

Houve outros incidentes de racismo em partidas na Itália nesta temporada. "É apenas barulho de macaco. Quem se importa?. 2018, caras", escreveu o atacante belga nesta quinta-feira.

 

Por outras ofensas cometidas pelos torcedores de Atalanta e Dortmund, a Uefa puniu ambos. O time italiano foi multado em 34 mil euros (aproximadamente R$ 138 mil) pelo arremesso de fogos de artifício e objetos, além do bloqueio de um setor da arquibancada. O Dortmund foi multado em 40 mil euros (R$ 162 mil) pelo uso de fogos de artifício e arremesso de objetos por torcedores.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.